Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
O Fantasma de 50 foi ao aeroporto Carrasco se despedir dos jogadores uruguaios antes do embarque para o Brasil | Pedro Kirilos / Agência O Globo
O Fantasma de 50 foi ao aeroporto Carrasco se despedir dos jogadores uruguaios antes do embarque para o Brasil| Foto: Pedro Kirilos / Agência O Globo

A seleção do Uruguai já está no avião rumo ao Brasil. O elenco celeste deixou a concentração da equipe em Montevidéu, chamada de Complexo Celeste, e partiu por volta das 14h para o Aeroporto Internacional de Carrasco, onde os jogadores eram esperados por algumas dezenas de torcedores que foram até lá para se despedir.

Quem também estava presente no aeroporto era o personagem "Fantasma de 50", criado pela empresa que fornece material esportivo para a seleção uruguaia - a Puma. Numa peça publicitária que causou rebuliço no fim do ano passada, o Fantasma vem ao Rio e assusta os brasileiros, numa referência explícita ao Maracanazzo.

Na ocasião, o capitão da equipe, Diego Lugano, criticou a campanha, lembrando que a seleção uruguaia, apesar da vitória na final da Copa de 1950, é querida por muitos brasileiros, e que a brincadeira poderia fazer os donos da casa torcerem contra os uruguaios nos jogos.

Chegada frustra torcedores

A seleção uruguaia desembarcou no Aeroporto Internacional de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, no início da noite desta segunda-feira, mas seguiu o roteiro da maioria das delegações e frustrou uma dezena de torcedores que aguarda no saguão. O desembarque foi feito diretamente na pista, onde a equipe se dirigiu para o ônibus que levaria a delegação para Sete Lagoas (MG) para a fase final de treinamentos para a Copa do Mundo.

A frustração, por outro lado, não foi superada pela alegria. Uruguaios se relacionavam amistosamente com torcedores da Argentina, que também aguardavam a chegada da seleção de seu país. O desembarque argentino estava previsto para 19 horas.

O comerciante Ramón Patrón mostrava a sua empolgação por meio de uma buzina que apelidou de "caxirola celeste". O formato é bem diferente, mas o som é igualmente irritante. "Não é um instrumento uruguaio. É brasileiro. Mas fiz uma adaptação e virou uma caxirola celeste", disse o torcedor referindo-se ao instrumento criado pelo cantor Carlinhos Brown para ser moda na Copa, mas que acabou vetado pela Fifa. Em um clássico entre Bahia e Vitória, o instrumento foi atirado ao gramado pelos torcedores do Vitória para protestar contra a derrota.

Ramón chegou ao Brasil no último domingo, direto da cidade de Maldonado, e comprou ingressos para os três jogos da primeira fase. O Uruguai está no Grupo D e vai enfrentar Costa Rica, Inglaterra e Itália. A frustração dos uruguaios poderá ser compensada no treino aberto público que o treinador Óscar Tabárez comandará na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, nesta terça.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]