Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Giovanni Augusto em jogada no Maracanã.
Giovanni Augusto em jogada no Maracanã.| Foto: Divulgação/Coritiba

O Coritiba apostou em uma nova formação tática na derrota para o Flamengo, por 3 a 1, neste sábado (21). Rodrigo Santana escalou a equipe com três zagueiros - Filemon, Nathan Silva e Sabino - e com os laterais, Mailton e William Matheus, mais avançados no momento de ataque.

O resultado não foi o esperado. Uma equipe desajustada na defesa, apesar da linha de cinco, com inúmeros problemas para marcar, e com pouca ofensividade.

Em 2020, com três técnicos, Eduardo Barroca, Jorginho e Rodrigo Santana, foi a primeira vez que o clube usou a formação.

“Sabíamos que o Flamengo fazia a linha de quatro lá na frente. Procuramos trazer a maior segurança possível e dar liberdade para os laterais jogarem. Tomamos um gol muito cedo, não vejo isso como um problema de sistema. Não dá pra competir fisicamente com o Flamengo com todas as dificuldades que temos (casos de Covid).”, disse o treinador.

Segundo dados do Sofascore, além dos três gols marcados, o Flamengo perdeu 12 grandes chances de gol contra o Coxa, números que a plataforma jamais registrou em todos os jogos da competição.

A derrota deixa o Alviverde na décima oitava colocação, com 20 pontos, podendo cair para a vice-lanterna caso o Botafogo vença na rodada. O próximo desafio da equipe é contra o Corinthians, na quarta-feira (25), às 21h30, no Couto Pereira.

21 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]