Com Édson Bastos suspenso, o goleiro Vanderlei terá a responsabilidade de fechar a meta alviverde no importante duelo do Coritiba com o Bahia, em Pituaçu | Daniel Castellano/ Gazeta do Povo
Com Édson Bastos suspenso, o goleiro Vanderlei terá a responsabilidade de fechar a meta alviverde no importante duelo do Coritiba com o Bahia, em Pituaçu| Foto: Daniel Castellano/ Gazeta do Povo

Técnico pede sangue-frio para superar cenário adverso na Bahia

O Coxa que se prepare. En­­tusiasmada com a campanha de seu time, a torcida do Bahia esgotou os 32 mil ingressos para a partida de hoje e promete transformar o estádio de Pituaçu em um caldeirão. Os tricolores baianos foram em massa ao aeroporto receber a equipe após a vitória sobre o Paraná – pressão à vista para o Alviverde. Os donos da casa, aliás, irão repetir a formação que derrotou o Tricolor em Curitiba – gol do atacante Jael que, via Twitter, inflamou a torcida contra o Coxa: "Pressão total neles!"

"Acho que vai ser um jogaço", comentou o técnico Ney Franco. Sabedor de que encontrará um dos cenários mais adversos que já enfrentou nesta Série B, o treinador pediu sangue-frio aos atletas. "É um trabalho de conscientização. Diante de todas as circunstâncias, lógico que desestabiliza. Mas também temos de ter equilíbrio. Já foi falado, sabendo que temos um jogo importante agora", afirmou.

Por outro lado, Ney Franco viu vantagens em jogar no caldeirão baiano, especialmente em comparação com o Ana­­cleto Campanella, do São Cae­­tano, onde o time foi derrotado (3 a 1) no último sábado. "O campo é do mesmo nível do nosso, as dimensões também facilitam para a nossa equipe", comparou o treinador. Sem deixar com que as circustâncias diminuam o moral coritibano, o comandante ainda avaliou que a equipe tem todas as condições de encarar o desafio no Nordeste. "De repente podemos ter mais uma vitória, abrir cinco pontos e continuar nessa boa campanha."

Bahia x Coritiba

Pituaçu, 21h

Estádio: Pituaçu. Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES). Auxs.: Emerson Augusto de Carvalho (SP/Fifa) e José Ricardo Maciel Linhares (ES)

Bahia: Fernando; Arílton, Luizão, Nem e Ávine; Fábio Bahia, Marconi, Helder e Morais; Adriano e Jael.Técnico: Márcio Araújo.

Coritiba: Vanderlei; Jéci, Cleiton e Lucas Mendes; Fabinho Capixaba, Leandro Donizete, Marcos Paulo (Willian), Rafinha e Triguinho; Enrico e Leonardo.Técnico: Ney Franco.

O Coritiba pode repetir hoje um feito que alcançou há 37 anos. Se vencer o Bahia, em Pituaçu, o Alvi­­verde fica muito perto de conquistar mais um título nacional, desta vez o bicampeonato da Série B. Em 1973, contra o mesmo adversário tricolor, em território inimigo, a equipe paranaense voltou do Nor­­deste comemorando o título da última edição do Torneio do Povo.

O 2 a 2 do outro lado do país assegurou ao Glorioso sua primeira taça nacional. Hoje, às 21 horas, o clima de decisão é o mesmo, já que o Coxa coloca em disputa a liderança da Segundona – tem 60 pontos, apenas dois a mais do que o rival.

É verdade que o Alviverde chega à Boa Terra ainda sem poder confirmar o título (até mesmo o acesso está indefinido, ainda que próximo), mas poderá impedir que os donos da casa ultrapassem o próprio Coritiba na classificação, quando faltarão apenas cinco jogos para o final dela. Um empate bastaria para manter o campeão paranaense dependendo apenas de si para colocar a faixa de campeão. Depois de amargar uma derrota por 3 a 1 para o São Caetano, o Coxa quer provar que tem espírito de decisão.

"Sabemos que se perdermos lá, nos ultrapassam e assumem a liderança. Está afunilando e cada jogo agora é uma decisão", bradou o zagueiro Cleiton. O alerta é válido, uma vez que depois de liderar a competição nas 10 últimas rodadas, o Coxa pode perder o posto na reta final – momentos nos quais, no primeiro turno, teve o pior desempenho no ano. Evitando entrar novamente em parafuso, o técnico Ney Franco pediu calma com as cobranças. "Isso é papel do treinador. Cobrar dentro da normalidade, achar um equilíbrio."

Ele terá duas mudanças obrigatórias para o jogo. Suspensos, Éd­­son Bastos (terceiro amarelo) e Léo Gago (expulso em São Cae­­tano do Sul) não atuam. Vanderlei está con­­firmado no gol. No meio, mistério. Franco pode escalar Tche­­co, Marcos Paulo ou Marcos Aurélio. Andrade, outra opção que Franco teria, não viajou. "Temos opções. A posição do Léo vamos olhar com carinho", disfarçou.

O momento também é especial para o Bahia, que, ao lado de Sport e do próprio Coritiba, forma o trio de campeões brasileiros disputando a Série B em 2010. E são 11 anos sem vencer o Alviverde. A última foi em 1999, em Salvador, por 3 a 0. De lá para cá, os baianos chegaram ao fundo do poço, sendo rebaixados sucessivamente até a Terceira Divisão. O retorno à elite nunca esteve tão próximo como nesta temporada – com expectativa real até de ser coroado com outro título nacional. Para isso, porém, terá de superar o Coxa.

Ao vivo

Bahia x Coritiba, às 21 horas, no SporTV e no tempo real da Gazeta do Povo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]