i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Fórmula 1

Cada vez mais distante da ponta, Alonso volta a "secar" Vettel

Espanhol tenta meios alternativos para desestabilizar a competição e não se distanciar demais do líder da temporada

  • PorEFE
  • 28/07/2013 13:04

A dificuldade para se manter na briga pelo título mundial deste ano na Fórmula 1 vem fazendo com que o espanhol Fernando Alonso busque meios alternativos para não se distanciar do líder da temporada, o alemão Sebastian Vettel, entre eles "secar" o piloto da Red Bull.

Em junho, a estratégia deu certo. No Grande Prêmio da Inglaterra, dias depois de Alonso dizer que "a maré de azar chega para todos e chegará para Sebastian também", o atual tricampeão mundial abandonou a prova a poucas voltas do fim, quando ocupava a liderança.

Neste domingo (28), após ter sido quinto colocado no GP da Hungria e ter visto Vettel chegar em terceiro, o que aumentou a distância na classificação para 38 pontos, ele voltou a usar a "estratégia".

"Ontem (sábado) vimos o problema de Mark Webber (companheiro de Vettel em Red Bull) com o Kers, alguma vez pode acontecer com Sebastian. Hoje vimos que ele tocou Button (McLaren) e não houve nada, mas alguma vez pode acontecer algo", afirmou.

O espanhol fez um balanço da temporada até agora e ainda não jogou a toalha, mas afirmou que será preciso que o F138 melhore para que a distância para Vettel comece a cair.

"Disputamos o título até a última corrida em dois dos três anos na Ferrari mesmo com meio segundo de desvantagem. Essa é a primeira esperança. E depois a segunda é melhorar o carro. Sabemos que tivemos altos e baixos. Começamos com um carro regular. Melhoramos, e o auge foi no GP da Espanha, em que Massa e eu subimos ao pódio. Depois começamos a cair", analisou.

"Confio na equipe, já que viemos de situações piores. Embora pareça um mês ruim para nós, quanto a evolução, já que em Silverstone, em Nürburgring e aqui não fomos suficientemente rápidos e não fizemos corridas a nosso nível, depois destas três más corridas, entre aspas, só perdemos cinco pontos em relação a Vettel", completou.

Na opinião do bicampeão mundial, há pelo menos três equipes melhores que a Ferrari no grid atualmente e por isso o quinto lugar em Hungaring não deve ser lamentado, mas, ao contrário, bastante comemorado.

"Em corrida, atualmente, nossa posição é sétimo ou oitavo, atrás das duas Mercedes, das Lotus e da Red Bull. E mesmo assim conseguimos um quinto e um oitavo lugar. Portanto, foi outro milagre e é preciso aproveitá-lo", finalizou o espanhol, que se recusou a falar sobre especulações surgidas na imprensa alemã que ele substituiria Webber na Red Bull.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.