Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Aniele Nascimento/Gazeta do Povo
| Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

O técnico do Atlético , Paulo Autuori, manteve sua postura firme contra a realização do clássico contra o Coritiba na quarta-feira de cinzas (1/3), criticou os campeonatos Estaduais e também a demissão do colega de profissão Paulo César Carpegiani no Coxa.

SIGA a página Atlético, conhecemos teu valor no Facebook

“O Clube Atlético Paranaense não queria que esse jogo fosse realizado nesse dia. Nos dias de Carnaval, mais um colega de profissão foi arejado no processo de trabalho. Você não tem clima para um Atletiba como se deve ter. Não consigo digerir isso, é uma vulgarização total”, afirmou o comandante rubro-negro.

Em protesto contra PM, Federação e Coritiba, Império anuncia boicote ao Atletiba

Leia a matéria completa

Autouri também criticou não apenas o Paranaense, mas os episódios protagonizados por Flamengo e Vasco no Carioca e o nível do Paulista. “Os Estaduais estão sendo implodidos por eles próprios. No Rio, sou até mais crítico por ser carioca. Mas em São Paulo, o Paulista perde público a cada ano, mesmo sendo o Estadual que era o mais próximo do Brasileiro em nível competitivo, mas os responsáveis pelo futebol estão com os olhos fechados para isso”.

Preparação para o clássico

Autuori revelou que a presença de Pachequinho no banco de reservas do Coritiba não será novidade e que a mudança no comando técnico do Alviverde influenciam pouco no Atletiba. “É só olhar lá atrás e pegar os nossos arquivos e pegar o Pachequinho técnico do Coritiba. Acho que é pouco tempo para se mudar muita coisa [revelou sobre a equipe do Coxa que deve enfrentar o Furacão] “, disse. O Atlético não deve ter mudanças no planejamento que fez para o Paranaense e os jovens devem ter mais uma oportunidade de mostrar serviço.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]