i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
primeira liga

Tentativa de invasão de campo impede jogadores do Atlético de receberem medalhas

Polícia interveio com bombas de efeito moral após o apito final na decisão

  • PorAndré Pugliesi
  • 21/04/2016 00:27
Alguns torcedores do Fluminense tentaram invadir o campo após o apito final. | Rudy Trindade/FramePhoto/Folhapress
Alguns torcedores do Fluminense tentaram invadir o campo após o apito final.| Foto: Rudy Trindade/FramePhoto/Folhapress

Os jogadores do Atlético não conseguiram receber no gramado a premiação pelo vice-campeonato da Primeira Liga, após a derrota por 1 a 0 para o Fluminense, nesta quarta-feira (20). O motivo foi a falta de segurança no Estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora, Minas Gerais.

Ao apito final do árbitro Sandro Meira Ricci, os atletas do Furacão permaneceram normalmente no campo de jogo. Entretanto, torcedores do Tricolor começaram a pular os alambrados e a polícia interveio, com ação do Batalhão de Choque e bombas de efeito moral.

“É brincadeira, né. Por isso que todo mundo critica o futebol brasileiro. Falta de organização. Imagina se a gente vence o jogo? Não ia conseguir pegar medalha, fazer nada. É lamentável tudo que aconteceu aqui”, declarou Marcos Guilherme, meia-atacante do Furacão.

“Não deu nem para ficar no vestiário. Jogadores intoxicados com gás lacrimogênio. Inacreditável. Tem que tirar esses caras do futebol. São marginais”, criticou o técnico Paulo Autuori.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.