Um dia após a briga entre torcedores de Atlético e Vasco, na Arena Joinville, o advogado da equipe paranaense, Domingos Moro, criticou a punição que tira o mando dos clubes e os obrigam a atuar em outra cidade, como a que foi imposta ao Furacão, que atuou na cidade catarinense. Segundo ele, mudar o local da partida não evita brigas.

"Eu falei no tribunal [anteriormente] que o jogo em outra cidade apenas transfere o local da briga. O que ocorreu ontem [domingo] demonstrou a falência dessa punição", afirmou Moro. "Os dois times podem ser punidos com a perda de dez mandos de campo. Mas isso vai resolver o que?", indaga Moro.

O Atlético atuou em Joinville depois de ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com perda de mando de campo em razão de briga entre integrantes de torcidas organizadas do clube no Atletiba do segundo turno.

O novo Regulamento Geral de Competições da CBF, válido a partir de 2014, abre a possibilidade para que o tribunal determine jogos sem a presença de torcida, o que, segundo Moro, seria mais eficiente. Partidas com a presença somente de mulheres e crianças são outra opção.

O advogado atleticano diz que vai analisar a denúncia do STJD contra o clube, confirmada na noite desta segunda-feira (9), para estudar uma defesa para o Furacão. Ele acredita que o julgamento vai ocorrer ainda neste ano. "Acredito apenas que não há tempo hábil para um eventual recurso, já que o tribunal entra em recesso no dia 20", afirmou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]