|
| Foto:

Geraldino Damasceno (foto abaixo) – Um legítimo gentleman da bola, jogou, treinou, foi campeão no Ferroviário, Água Verde e Atlético. Dirigiu ainda Colorado, Coritiba e Pinheiros.

Fotos: Arquivo / GRPCom

Rubens Minelli – O multicampeão nacional foi o primeiro técnico do Paraná e levantou o caneco do estadual com o Tricolor em 94 e 97. Comandou ainda o Coxa e foi diretor no Atlético.

Motorzinho – Ruy Castro dos Santos foi o cérebro do irresistível e inesquecível Furacão de 1949. Treinou também o Monte Alegre, de Telêmaco Borba, primeiro clube do interior campeão estadual, em 1955.

Francisco Sarno – Foi bicampeão pelo Coxa, no histórico título de 1968 e em 1969. Autor do notável livro "Futebol, a dança do diabo", revelando os bastidores infernais do esporte.

Abel Braga – Aquele famoso por saber "tocar na alma do jogador" resgatou Atlético e Coritiba de dois jejuns que duraram uma década, em 1998 e 1999, respectivamente. Treinou ainda o Paraná na sequência, em 2000.

Otacílio Gonçalves – O apelidado Chapinha foi quem mais treinou o Paraná, em 146 partidas. Campeão com o Atlético em 1985, Pinheiros em 87 e bi com o Tricolor em 91 e 95.

De Sordi – Lateral campeão mundial em 1958, fez do União Bandeirante um time tinhoso, terrível de enfrentar na sempre abafada Vila Maria. Foi vice-campeão estadual com o clube em 1971, com campanha de campeão.

Félix Magno – O uruguaio é o técnico com mais partidas pelo Coritiba (196), campeão cinco vezes: 1951, 1954, 1956, 1957 e 1959. Comandou também o Atlético e Ferroviário no Paraná.

Borba Filho – Comandou 14 clubes paranaenses, talvez a mais alta quilometragem entre os técnicos pelo estado. Foi campeão com o Cascavel, em 1980, e o Pinheiros, em 1984.

Tim (foto abaixo) – Elba de Pádua Lima formou duas máquinas de jogar bola: o Coxa campeão de 1971 e o de 73. Dirigiu também o Peru, Santos, Botafogo, Fluminense, Flamengo, Vasco etc.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]