Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
 | /
| Foto: /

O Campeonato Paranaense de 2017 terminou dentro de campo no último domingo (7), com o título do Coritiba sobre o Atlético , no Couto Pereira. Fora das quatro linhas, entretanto, a disputa segue conturbada e existe a possibilidade de nova reviravolta.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julga nesta quinta-feira (11) as medidas de Paraná e Cascavel contra a Federação Paranaense de Futebol (FPF).

Os clubes argumentam que o regulamento do torneio não foi seguido e pedem a mudança de chaveamento das quartas de final. Caso tenham os pedidos acatados, todas as partidas do Estadual, a partir das quartas de final, teriam de ser refeitas de acordo com o novo cruzamento. O que foi jogado no mata-mata até agora não valeria nada.

Por causa disso, a FPF ainda não homologou o título do Coxa, nem o rebaixamento de J. Malucelli e Toledo. Por precaução, a entidade espera o julgamento do STJD. “A homologação deve acontecer na sexta-feira (12)”, confia, via assessoria de imprensa, a FPF.

O Tricolor, por sua vez, demonstra confiança em uma virada jurídica. “O Paraná está confiante de que seus direitos serão reconhecidos”, assegura a advogado do clube, Alessandro Kishino.

Apelo ao Ministério do Esporte

Além de impetrar medida no STJD, o Cascavel fará uma reclamação formal ao Ministério do Esporte, na quarta-feira (10), contra o próprio Tribunal situado no Rio de Janeiro.

“Vamos a Brasília numa audiência pública no Ministério do Esporte para que tenhamos uma punição ao STJD”, explica o presidente do clube, Valdinei Silva. “O STJD estragou o campeonato, estragou com tudo. Nós queremos que este Tribunal seja punido, para que isso não aconteça mais. Nem temos esperança de que o STJD reverta a decisão”, complementa.

Caso Getterson

Os atuais desenvolvimentos jurídicos ainda são consequência do “Caso Getterson”, que bagunçou todo o Campeonato Parananese. O atacante do Jotinha foi escalado nas três primeiras rodadas sem constar no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

O Jota foi inicialmente punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR), mas recorreu e obteve liminar suspendendo a decisão. O TJD, então, recorreu ao STJD, que penalizou o Jota com a perda de 16 pontos. A decisão rebaixou o time do Barigui e alçou o Rio Branco ao mata-mata, diretamente na vaga do Jota, bagunçando o mata-mata.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]