Com uma contratura muscular, o atacante Cristiano é dúvida para a final contra o LEC | Ivan Amorin/Gazeta do Povo
Com uma contratura muscular, o atacante Cristiano é dúvida para a final contra o LEC| Foto: Ivan Amorin/Gazeta do Povo

A boa campanha do Maringá, finalista do Campeonato Para­­naense, terá reflexos no elenco para a disputa da Série D do Brasileiro, no segundo semestre. A visibilidade trouxe a reboque o interesse de outros clubes, inclusive de Curitiba, em alguns dos principais jogadores da equipe. A primeira partida da decisão contra o Londrina é amanhã, às 16 horas, no Estádio do Café.

O goleiro Ednaldo, o lateral-direito Reginaldo, o meia Max e os atacantes Gabriel Barcos e Cristiano são os mais cortejados. O assédio virou, inclusive, papo entre os boleiros ontem, na última atividade antes do duelo na vizinha Londrina.

"Começaram as conversas, recebo ligações de algumas pessoas, mas por enquanto não há nada certo. Já pedi para ligarem só depois do campeonato, porque meu foco precisa estar aqui nesse momento", revela Cristiano, artilheiro do Estadual com nove gols ao lado do paranista Giancarlo. Coritiba e o próprio Paraná estão interessados no matador.

Como não tinha calendário para o ano todo, o Maringá fechou contratos curtos com os jogadores, de no máximo seis meses. Ou seja, depois da final contra o Tubarão, boa parte estará livre para negociar com outros clubes. Pesa também o fato de a Zebra, apelido herdado do mascote do time, ter pouco poder financeiro para seduzir os boleiros.

"Vamos fazer de tudo para tentar segurar os principais jogadores, mas não podemos fazer loucuras e estourar a folha de pagamento. O importante é conseguir manter uma base para a Série D e o Paranaense do ano que vem", lamenta o presidente do Maringá, João Regini.

Do elenco de 26 atletas, somente três pertencem inteiramente ao clube e deixarão algum dinheiro caso sejam negociados. O trio Klisley (atacante), Rodriguinho (meia) e Luan (lateral-esquerdo), porém, como não joga com regularidade, tem poucas pers­­pectivas de deixar a Ci­dade Canção.

A comissão técnica também está na vitrine. O treinador Claudemir Sturion foi sondado pelo Paraná, mas o empresário que intermediava a negociação não venceu a briga interna – Ricardo Drubscky foi anunciado ontem como novo comandante tricolor.

Apesar das sondagens, Sturion espera que o grupo não se deixe contaminar pelas negociações paralelas, atrapalhando o time em campo. "Tem de servir para motivar. Não adianta os clubes terem interesse. Se os jogadores não fizerem duas boas apresentações agora, podem se colocar como dúvida", fecha o técnico.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]