Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Futebol
  4. Campeonato Paranaense
  5. Morre Nillo Biazzetto, capitão do time que deu origem ao Furacão

Luto

Morre Nillo Biazzetto, capitão do time que deu origem ao Furacão

Líder da equipe avassaladora de 1949, ex-zagueiro manteve-se ligado ao Atlético a vida toda

  • Marcos Xavier Vicente e Ciro Campos, especial para a Gazeta do Povo
Ídolo rubro-negro Nilo Biazetto, o Capitão Furacão, será velado na sala Vip da Arena da Baixada |
Ídolo rubro-negro Nilo Biazetto, o Capitão Furacão, será velado na sala Vip da Arena da Baixada
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Morre Nillo Biazzetto, capitão do time que deu origem ao Furacão

Nillo Biazzetto, capitão da equipe que fez com que o Atlético passasse a ser conhecido nacionalmente como Furacão, faleceu por volta das 16h desta sexta-feira (27), aos 89 anos. O ídolo rubro-negro foi vítima de um câncer no sistema linfático.

O apelido veio pela força do Rubro-Negro na conquista do Campeonato Paranaense de 1949, quando a equipe, que tinha Nillo como zagueiro e líder, alcançou a marca histórica de 11 vitórias em 12 partidas, com 49 gols a favor e apenas 19 contra. O recorde de 11 vitórias seguidas no Estadual só foi derrubado 59 anos depois, com o próprio Atlético em 2008.

Ironicamente, Nillo iniciou a carreira no Coritiba, em 1938, por ser o clube mais perto de sua casa. Um ano depois, chegava à Baixada para se tornar ídolo rubro-negro. Foram 12 anos vestindo a camisa atleticana. Mesmo fora do campo, Nillo sempre manteve vínculo com a Baixada. No triênio 2002-2003, o ex-jogador chegou a presidir do Conselho Deliberativo do Furacão.

Os colegas de Nillo lamentaram a perda do Capitão Furacão - como passou a ser conhecido a partir de 1949. "O Nillo era extraordinário. Era o capitão do Furacão e além de companheiro foi um grande amigo", lamentou o ex-atacante Jackson Nascimento, campeão paranaense com Nillo em 1949. Jackson também elogiou a inteligência e a autoconfiança do Nillo. "É uma grande perda e que merecia muito mais reconhecimento do Atlético. Mas o nome dele nunca vai desaparecer da história."

"O Nillo era zagueiro firme, forte e os atacantes tinham dificuldade de passar por ele. Aprendi muito sobre futebol com ele", afirmou Waldomiro Galalau, por anos parceiro de zaga de Nillo no Atlético.

O corpo do ídolo atleticano será velado na sala VIP da Arena da Baixada, das 22 horas desta sexta-feira às 16 horas de sábado. A cerimônia de cremação, no Crematório Pérpetuo Socorro, em Campo Largo, será restrita aos familiares.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE