Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Futebol
  4. Campeonato Paranaense
  5. Refém da jogada aérea, Coxa consagra beques

Paranaense

Refém da jogada aérea, Coxa consagra beques

Dos 31 gols que o Coritiba fez no Estadual, 19, ou 61%, saíram em bolas alçadas na área, coroando os zagueiros Emerson e Pereira

  • Robson Martins
Pereira é o segundo zagueiro que mais marcou gols com a camisa do Coritiba: 17 bolas na rede desde 2008 |
Pereira é o segundo zagueiro que mais marcou gols com a camisa do Coritiba: 17 bolas na rede desde 2008
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A estatística não mente. O Co­­ri­­tiba é refém dos “chuveirinhos”. Dos 31 gols que o clube fez neste Es­­ta­­dual, nada menos do que 19, ou 61%, surgiram em lances de bolas alçadas à área. Estratégia usada com competência no triunfo aper­­tado sobre o Corinthians-PR, no último domingo (4), por 2 a 1, quando os zagueiros Emerson e Pereira garantiram – de cabeça – mais três pontos a favor do Al­­viverde.

Destrinchando um pouco mais os números, percebe-se outra ca­­racterística do Coxa versão 2012: é um time bom de cabeça – foram 11 bolas (35%) na rede até a 2.ª rodada do returno do Paranaense.

A tática tem seus prós e contras. Do lado positivo, ajuda a consagrar zagueiros com alma de artilheiros. Casos dos atuais titulares Emerson e Pereira. Com o gol marcado contra o Timãozinho, o capitão Pereira chegou a 17 com a camisa coxa-branca, assumindo a vice-artilharia entre os beques com passagem pelo Alto da Glória – Zambiasi, com 18, é o ponteiro.

Logo em seguida aparece Emer­­son (14 gols em 75 partidas pelo clube). “O futebol está cada vez mais equilibrado e se os zagueiros puderem ajudar o time fazendo gols é um algo a mais para a equipe”, ressaltou ele que, ao lado de Rafinha, Marcel e Renan Oliveira, é o artilheiro do time no ano com quatro gols.

O efeito colateral, porém, é a pre­­visibilidade da equipe, algo que não ocorria, por exemplo, em 2011. Selada a vitória no Janguito Malucelli, o próprio Marcelo Oli­­veira falou sobre a tática do “chuveirinho”, admitindo a necessidade de se melhorar o sistema ofensivo do time. “Ainda não tivemos uma semana aberta para trabalhar. Nós vamos trocando um ou outro [jogador] até chegar a um modelo ideal”, disse o treinador.

O tempo pedido pelo técnico ocorrerá agora, pois o Alviverde só volta a campo no próximo domingo, às 15h50, contra o Iraty, no interior. Período que será usado para se ganhar mais margem de manobra no sistema de jogo idealizado por Oliveira.

Assim, quem tem grandes chances de estrear contra o lanterna Azulão, caso a documentação esteja regularizada a tempo, é o atacante Roberto. Ontem, en­­quanto a maioria do elenco estava de folga, o jogador trabalhava no CT da Graciosa. Mais um candidato a resolver o doloroso calo coxa.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE