Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

memória

12 jogos, pênalti perdido, nenhum gol: relembre a passagem do carrasco brasileiro Ruidíaz pelo Coxa

  • Daniel Malucelli e Alessandro Pinheiro Especial para a Gazeta do Povo
Ruidíaz enfrentou problemas de adaptação no Coxa. | HUGO HARADA
Ruidíaz enfrentou problemas de adaptação no Coxa. HUGO HARADA
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Autor do gol de mão que sacramentou a derrota e a eliminação do Brasil na Copa América, o peruano Raúl Ruidíaz passou pelo Coritiba sem deixar saudades. Foram 12 jogos – apenas um como titular – e nenhum gol marcado com a camisa alviverde. O atacante foi contratado pelo Coxa em agosto de 2012, na época com 22 anos. O período no Alto da Glória foi de apenas sete meses.

“O Ruidíaz teve muita dificuldade de adaptação e não conseguia se entrosar com o grupo. Eu ia aos treinos e ele me parecia sempre triste. Era um bom garoto, mas não foi no Coritiba que ele aprendeu a fazer gol com a mão”, brinca Vilson Ribeiro de Andrade, presidente coxa-branca na época, sobre o gol irregular que o atacante de 25 anos anotou no último domingo (12).

TOP 5: veja os principais momentos de Ruidíaz no Coritiba

O baixinho de 1,67m despontou pelo Universitário do Peru em 2008, com 17 anos. Era a estrela das seleções de base de seu país e recebeu o apelido de “La Pulga”, em referência à alcunha do craque argentino Lionel Messi. Em 2012, foi contratado por empréstimo pela Universidad de Chile, sob o comando do técnico Jorge Sampaoli, mas teve seu contrato rescindido pelos chilenos, quando surgiu a proposta do Coritiba.

CURTA a página Coritiba Campeão do povo no Facebook

SIGA a Gazeta Esportiva no Twitter

A estreia de Ruidíaz pelo Coxa, na vitória por 3 a 0 contra o Flamengo, no Brasileirão, foi ofuscada pelo atacante Deivid, que também debutou no clube no dia. O peruano saiu do banco apenas para receber um cartão amarelo contra os cariocas. Sem espaço no elenco do treinador Marquinhos Santos, foi embora no ano seguinte, deixando como última lembrança um pênalti desperdiçado contra o Operário, no Estadual de 2013, na sua única aparição como titular.

“Nós estávamos monitorando o Ruidíaz desde que era garoto. Trouxemos por empréstimo com direito de compra definitiva, o que não acabou se concretizando. Ele sentia muita falta da família e quis voltar para o Peru. Nós estendemos o vínculo do contrato para ele poder retornar em 2014, mas ele não quis e nós liberamos o jogador”, explica o ex-presidente alviverde sobre o retorno de Ruidíaz ao Universitário, clube que o peruano atua até hoje.

Em cinco tópicos, relembre a passagem de Raúl Ruidiaz pelo Coritiba:

1- Chegada no Coxa

Em 2012, Raúl Ruidíaz foi contratado pelo Coritiba como o grande jogador para o setor de meio-campo. O jogador que tinha 22 anos, foi revelado pelo Universitário, do Peru. O então presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, afirmou que o estilo de jogo do peruano se adaptava ao dos jogadores brasileiros.

2- Ruidíaz, não Messi

Quando foi apresentado na sala de imprensa do Couto Pereira, Raul Ruidíaz chegou com o respaldo de toda diretoria e com muitos elogios por parte da mídia peruana. O atacante foi comparado a estrela do Barcelona Lionel Messi. Na entrevista coletiva, Ruidiaz tirou toda a pressão e não concordou com a comparação com o astro argentino. “No meu país me chamam de Pulga, mas sempre digo para não me compararem [com Messi]. Sou Raúl Ruidíaz e nada mais”, declarou.

3- Estreia

Pela primeira rodada do Campeonato Paranaense 2013, o Coritiba enfrentou o Operário, em Ponta Grossa. Iniciando a partida como titular, Raúl Ruidíaz era a referência do time alternativo do Coxa. Aos 46 minutos do primeiro tempo, o volante Djair foi derrubado dentro da área, pênalti para o Coxa. Em busca do seu primeiro gol com a camisa do Coritiba, o peruano foi para cobrança, mas recuou a bola para o goleiro Silvio. O Coritiba empatou a partida em 0 a 0.

4- Despedida

Em 21 de março de 2013, Ruidíaz deixou o Coritiba, para ser emprestado ao Universitário, do Peru, clube que revelou o atleta. Depois de 12 jogos e nenhum gol marcado, o meia afirmou que problemas pessoais estavam prejudicando o seu futebol no time paranaense. “Antes de sair do meu país fui para o Chile, onde aconteceram coisas muito boas. Aqui eu gostei muito da cidade, muito do clube, mas tudo que está acontecendo é algo muito particular, e eu quero deixar claro que tenho um carinho enorme pela cidade e pelo Coritiba”, explicou o peruano.

5- Fim do vínculo

Mesmo com atuações que não justificavam o investimento, o contrato de Raúl Ruidiaz com o Coritiba foi renovado por mais seis meses, com o vínculo chegando ao fim em dezembro de 2015. A diretoria do Verdão confiava que o jogador pudesse superar os problemas pessoas e apresentar o futebol que o credenciou para defender as cores do time do Alto da Glória. No entanto, isso não aconteceu e o vínculo foi quebrado de vez.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE