| O delegado-titular da Delcon, Guilherme Rangel, em entrevista coletiva nesta sexta-feira .
| Foto: O delegado-titular da Delcon, Guilherme Rangel, em entrevista coletiva nesta sexta-feira .

A Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon) realiza, na manhã desta sexta-feira (15), operação de combate à venda irregular de ingressos para o UFC 198, marcado para dia 14 de maio, na Arena da Baixada, em Curitiba. Foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e cinco de condução coercitiva. A Polícia Civil do Paraná também pediu o bloqueio de dois sites que vinham fazendo essa comercialização, o Mercado Livre e Ticketbis.

Com sistema travado, ingresso mais barato do UFC Curitiba fica 400% mais caro em site de revenda

Leia a matéria completa

“Os dois sites estão proibidos de vender ingressos. A justiça determinou que sejam retirados os anúncios e fixou multa diária de R$ 3 mil por anúncio, em caso de descumprimento”, afirmou o delegado-titular da Delcon, Guilherme Rangel, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (15).

Além dos bloqueios a sites, foram expedidos cinco mandados de busca e apreensão em diferentes bairros da capital paranaense com o objetivo de fiscalizar e proibir as vendas irregulares de ingressos para o evento.

Outros cinco mandados de conduções coercitivas contra os envolvidos no esquema de venda abusiva também foram cumpridos. As buscas ocorreram nos bairros Portão, Hugo Lange, Rebouças, Boqueirão e Bairro Alto.

Segundo o delegado, os suspeitos não fazem parte de grupos, agem de maneira isolada mas tinham em comum a maneira como comercializavam os bilhetes. Todos foram ouvidos nesta sexta e acabaram liberados após prestar depoimento.

“As pessoas não tinham contato entre si, mas utilizavam as mesmas formas para revenda, por redes sociais e aplicativos de conversa. Faziam a publicidade e, por meio de conversas privadas, ofereciam os detalhes da negociação”, explicou.

Rangel esclareceu que os investigados cometeram crime por ter intenção de lucrar com a prática. Segundo o delegado, vender o ingresso vira delito apenas se a pessoa revender por um valor acima do que foi adquirido. “O Estatuto do Torcedor prevê, em seu artigo 41, que a pessoa não pode comercializar por um valor maior que o estampado no bilhete. O delito é o intuito lucrativo”. De acordo com a Delcon, as investigações continuam.

A delegacia pede para que quem tenha qualquer informação sobre a comercialização de entradas para o UFC 198 procure a unidade ou envie e-mail para delcon@pc.pr.gov.br.

O ingresso mais barato, de R$ 139 na arquibancada, é encontrado a R$ 708 no site Ticketbis, especializado em revender entradas. O aumento é de 409%. Mas o valor mais exorbitante é do setor Octógono Premium. Originalmente o preço é de R$ 1.500. No Ticketbis, entretanto, está sendo vendido pelo por R$ 10 mil - 567% maior do que o valor original.

Participam da operação, policiais da Delcon e do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope). As buscas ocorrem nos bairros Portão, Hugo Lange, Rebouças, Boqueirão e Bairro Alto, em Curitiba.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]