165107

Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Logotipo Futebol 2019
PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Esportes
  3. Nos pênaltis, Athletico bate Coritiba e está na final do Paranaense

paranaense

Nos pênaltis, Athletico bate Coritiba e está na final do Paranaense

  • Daniel Malucelli
Marquinho recebe a Taça Dirceu Krüger das mãos do maior ídolo do Coritiba | Albari Rosa/Gazeta do Povo
Marquinho recebe a Taça Dirceu Krüger das mãos do maior ídolo do Coritiba Albari Rosa/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Com muita emoção e gol empate no fim do jogo, o Athletico venceu o rival Coritiba nos pênaltis, por 7 a 6, nesta quarta-feira (10) e conquistou a Taça Dirceu Krüger, o segundo turno do Paranaense 2019.

O placar no tempo normal foi de 1 a 1, mas o Furacão perdia até aos 43 minutos do segundo tempo, quando o meia Marquinho, capitão do time de aspirantes, empatou. Nas penalidades, o goleiro Léo parou Romércio na cobrança decisiva.

Agora, o Rubro-Negro enfrenta o Toledo na final do Estadual. Por ter campanha melhor na classificação geral, decide em casa. O primeiro jogo é neste domingo (14), às 16h, no estádio 14 de Dezembro. Já a volta será no domingo (21), no mesmo horário, na Arena da Baixada.

>> TABELA PARANAENSE 2019: confira a classificação, resultados e próximos jogos

Tensão

As cobranças certeiras elevaram a tensão na Arena. O goleiro Alex Muralha, que viveu um drama no Flamengo por ficar dois anos sem pegar um pênalti, defendeu apenas uma das oito batidas feitas pelo Furacão (Léo Cittadini).

Pelo Athletico, Léo primeiro viu o volante Elyeser isolar e depois o próprio goleiro se consagrou ao pegar o último pênalti, cobrado pelo do zagueiro Romércio.

Esquentou no fim

O Atletiba reservou a melhor parte para o fim da partida e esquentou mesmo no segundo tempo.

O Athletico teve um pênalti não marcado em Bergson pelo árbitro Nilo Neves de Souza Jr. – que substituiu o lesionado Paulo Roberto Alves Junior ainda na primeira etapa. No Coritiba, Rodrigão era um oásis na criação ofensiva. Isso até a entrada de Welinton Junior, que costurou a zaga atleticana e marcou o gol que poderia valer o título com um chute de bico, no cantinho, aos 28 minutos da etapa final.

Mas o Furacão pressionou e foi empurrado pela torcida. O público presente foi de 15.979 – cerca de dois mil eram coxas-brancas –, no primeiro jogo nacional com torcida divida desde maio de 2018. E no final, aos 43 minutos, Marquinho empatou e fez o estádio explodir, num prenúncio da conquista da taça em homenagem ao maior ídolo da história coxa-branca.

Confira o lance a lance e a ficha técnica de Athletico x Coritiba

***

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O jornalismo da Gazeta depende do seu apoio.    

Por apenas R$ 0,99 no 1º mês você tem
  • Acesso ilimitado
  • Notificações das principais notícias
  • Newsletter com os fatos e análises
  • O melhor time de colunistas do Brasil
  • Vídeos, infográficos e podcasts.
Já é assinante? Clique aqui.
>