i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
rio-2016

Bilionário do Zimbábue carregará tacos de golfe para “pagar dívida”

    • Folhapress
    • 02/08/2016 15:02
    Vista aérea do campo de golfe onde será realizado no torneio olímpico | YASUYOSHI CHIBA/AFP
    Vista aérea do campo de golfe onde será realizado no torneio olímpico| Foto: YASUYOSHI CHIBA/AFP

    Haverá um bilionário entre os jovens carentes que carregarão os tacos dos atletas do golfe, esporte que faz sua estreia olímpica na Rio-2016. Andy Edmonson, um dos maiores fazendeiros do Zimbábue, afirma que aceitou o convite para fazer o trabalho de apoio porque “é uma dívida justa a se pagar”.

    Duas décadas atrás, ele contratou um jovem chamado Adilson da Silva para ser seu “caddie” nas temporadas em que ia ao Rio Grande do Sul para comprar fumo. Filho do carpinteiro da cidade e de uma faxineira, Silva nunca havia pisado num campo de golfe. Mas, como o inglês radicado na África não tinha parceiro para praticar, pedia que o assistente jogasse com ele. Percebeu que o moleque levava jeito para a coisa e perguntou se ele não gostaria de tentar a sorte em campos profissionais no Zimbábue.

    O jovem foi, trabalhou como garçom para se sustentar. Hoje Adilson da Silva, 43, é um dos melhores brasileiros da história do esporte: chegou a ser o ducentésimo melhor golfista do mundo e já ganhou mais de 30 torneios.

    A onda de desistências de golfistas, com medo do vírus zika e da falta de segurança do Rio, reforça suas chances de ganhar uma medalha para o país do qual saiu há 20 anos.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.