Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | /Reprodução
| Foto: /Reprodução

A cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos não passaram impunes à onda de protestos no país. Durante o evento, o guitarrista do Nação Zumbi, Lúcio Maia, aproveitou um momento da apresentação quando foi focado pelas câmeras para virar a parte de trás de seu instrumento e exibir a mensagem “Fora Temer”.

A banda pernambucana – expoente do movimento Manguebeat – subiu ao palco para celebrar a biodiversidade.

O protesto apareceu no telão do Maracanã e causou furor no público.

Em tom ufanista, o Comitê Rio-2016 fez um balanço dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos antes do encerramento, considerando que os eventos “entrarão para história” e que “nenhuma cidade mudou tanto como o Rio nos 120 anos” de Jogos Olímpicos da era moderna. O comitê manteve o discurso de que tudo isso foi possível “com os Jogos mais econômicos da história”. A organização dos dois eventos consumiu R$ 9,14 bilhões de reais e necessitou de um aporte emergencial de recursos públicos que poderá ultrapassar os R$ 200 milhões.

O Brasil terminou a competição com a oitava posição geral, com 72 pódios, sendo 14 medalhas de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. Pela ordem, ficou atrás de China, Grã-Bretanha, Ucrânia, Estados Unidos, Austrália, Alemanha e Holanda.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]