Denver Broncos e New England Patriots fazem a final da Conferência Americana da NFL | Reuters e EFE
Denver Broncos e New England Patriots fazem a final da Conferência Americana da NFL| Foto: Reuters e EFE

Broncos x Patriots, ou seria Manning x Brady?

Gustavo Ribeiro

Impossível desassociar esse Broncos x Patriots do duelo particular Peyton Manning x Tom Brady. Aliás, só pela presença dos dois no gramado do Sports Authority Field, a final da Conferência Americana da NFL se torna imperdível e candidato a um dos melhores da temporada - assim como o confronto de novembro, vencido pelo Patriots na prorrogação, por 34 a 31.

Os dois quarterbacks estão, indiscutivelmente, entre os melhores da posição em todos os tempos e a classificação de um ou outro time para o Superbowl vai passar necessariamente pela mente e pelas mãos deles. Experiência de playoffs não falta aos dois. Com 36 anos, Brady é o QB que mais venceu jogos de pós-temporada na história: 18 de 25 disputados. Do outro lado, Manning, de 37 anos, venceu 10 de 21.

No embate entre eles, o representante do New England leva vantagem, com 10 vitórias e quatro derrotas. No último jogo de playoff, porém, o então quarterback do Indianapolis Colts levou a melhor, na temporada 2006/07.

Em resumo. É jogo de gente muito grande e difícil de fazer qualquer prognóstico. A chance de errar é enorme. Mas dá para chutar que será um confronto igual, com um placar apertado, mas muitos toucdowns, com os ataques em cima em todo momento.

O que pode, e deve, fazer a diferença é o fator casa. Ou melhor, fator visitante. O time de Denver é o mandante e pode tirar vantagem, já que o Patriots não vem bem como forasteiro. Nesta temporada, só venceu duas de nove partidas longe do Gilette Stadium, em Foxborough. E nas três vezes que se enfrentaram em playoffs, só deu Broncos.

Claro que Brady e Manning vão polarizar o confronto. No entanto, o jogo em si tende a ser ainda mais interessante do que o duelo entre os quarterbacks. Três horas para grudar na frente da televisão para não perder lance algum. Provavelmente lances de pura genialidade.Denver Broncos x New England PatriotsSports Authority Field, Denver, ColoradoDomingo, 18hNa TV: ESPN

****************************************

Seahawks x 49ers: muita rivalidade, barulho e quarterbacks fora do padrão

Fernando Rudnick

Seattle Seahawks e San Francisco 49ers fazem no domingo, a partir das 21h30, a final da Conferência Nacional da NFL. Não importa se você nunca assistiu a um jogo de futebol americano ou se já é um fã assíduo do esporte da bola oval. Veja o duelo no CenturyLink Field por estes três motivos:

Rivalidade

Seattle e San Francisco são rivais de divisão. Enquanto, historicamente, a reputação do primeiro é pequena, com apenas uma participação em Super Bowl (2005) e nenhum título, a equipe de San Francisco é a mais popular da NFL, ostenta cinco conquistas (1981, 1984, 1988, 1989, 1994) e foi a casa de Joe Montana, um dos maiores jogadores da história.

Neste ano, cada um venceu um duelo. Para acirrar ainda mais os ânimos, os técnico Pete Caroll, do Seattle, e Jim Harbaugh, do San Francisco, carregam uma forte rivalidade desde os tempos de faculdade. É esperar para ver quem leva a melhor.

Quarterbacks ‘diferentes’

Quarterback é a principal posição no futebol americano. É das mãos desse jogador que saem lançamentos para o touchdown. Porém, no caso de Russell Wilson, do Seattle, e Colin Kaepernick, do San Francisco, as jogadas não ficam apenas nos passes. Além de serem bons lançadores, ambos têm qualidade fora do comum no jogo corrido. Rápidos, explosivos e inteligentes, os dois jovens de 25 e 26 anos, respectivamente, não se apavoram com as enormes defesas rivais e completam muitas jogadas fora do pocket - o cinturão de defensores à sua frente.

Wilson e Kaepernick não estão no nível dos lendários, mas já veteranos, Tom Brady (36 anos) e Peyton Manning (37 anos), que protagonizam a decisão da Conferência Americana. Precisam de títulos para isso. Mas um dos dois jovens terá a chance de entrar para história daqui a duas semanas.

Torcida

O estádio do Seahawks é o mais barulhento do mundo. E quando digo barulhento, é barulho pra valer! Na atual temporada a torcida do time, chamada de 12th (décimo segundo jogador), registrou o recorde mundial de barulho em um estádio sem cobertura, com os 137.6 decibéis alcançados na partida contra o New Orleans Saints.

A defesa da equipe de Washington, que já é boa, agradece: o som ensurdecedor vindo das arquibancadas atrapalha os adversários de tal maneira que o maior número de saídas falsas (falta contra o ataque) da liga acontece no CenturyLink Field. Mas os 67 mil torcedores que assistem aos jogos no local são mais do que ensurdecedores. Eles causam até pequenos terremotos, de magnitude entre 1 e 2 pontos, registrados por sismógrafos instalados por lá.

Seattle Seahawks x San Francisco 49ersCenturyLink Field, Seattle, WashingtonDomingo, 21h30Na TV: ESPN

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]