Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

No dia em que professores e estudantes decidiram faltar aula para protestar contra o anúncio do governo de que haverá contingenciamento no orçamento da Educação este ano, o escritor e jornalista Guilherme Fiúza analisa as distorções dos números e dos discursos.

O ministro da Educação Abraham Wientraub fala em adiar para setembro a liberação de parte do orçamento. No caso das Universidades isso representa uma fatia de 3,5% das verbas em que, por lei, o governo pode mexer. Políticos de oposição, professores e mesmo parte da imprensa dizem que o contingenciamento é de 30% e interpretam que "atraso na liberação da verba" é "corte definitivo". A guerra de narrativas atinge estudantes e eles decidem fazer greve.

Quem está certo? Faltou cálculo? Faltou interpretação de texto? Faltou diálogo? Faltou aula?

Acompanhe a conversa da jornalista Cristina Graeml com Guilherme Fiúza para saber o que o colunista da Gazeta do Povo pensa sobre o assunto. Faça perguntas para o Fiuza responder usando o chat.

8 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]