Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
protestos andrew jackson
Manifestantes tentam derrubar a estátua de Andrew Jackson na Praça Lafayette, perto da Casa Branca, em 22 de junho de 2020 em Washington, DC| Foto: Drew Angerer/Getty Images/AFP

Nós nos tornamos uma nação de bebês chorões?

Enquanto os Estados Unidos precisam lidar com questões importantes sobre história, racismo e como lidar com uma pandemia, estamos vendo uma explosão de comportamento tão racional quanto o de criancinhas birrentas.

É só prestar atenção ao que aconteceu nos últimos dias.

Em um vídeo feito por Henry Rodgers, do Daily Caller, uma mulher branca tenta explicar a questão racial para policiais negros. "Você é branca e está dizendo isso para dois policiais negros. Você não vê nenhum problema nisso, nem um pouquinho? pergunta Rodgers.

"Não, não, sabe por quê? Só porque sou branca e não sofri racismo, não significa que não posso lutar por justiça ", responde a mulher branca. "Eles fazem parte do sistema. Eles fazem parte do problema. Só porque eles são negros não significa que não fazem parte do problema. Estou autorizada a dizer isso a quem quer que seja, porque sou branca. O racismo é problema das pessoas brancas. Racismo é meu problema. Eu preciso consertar isso. É por isso que estou aqui, conversando com todos eles - preto, branco, marrom, roxo."

Então, aparentemente, a lógica da esquerda passou de apenas pessoas de cor podem falar sobre racismo para … apenas liberais, independentemente da cor da pele, podem falar de racismo. Aparentemente, o daltonismo está em voga novamente.

Na terça-feira, o Twitter publicou um aviso em mais um dos tuítes do presidente Donald Trump, declarando, de maneira santimonial: “Colocamos um aviso de interesse público neste tuíte por violar nossa política contra comportamento abusivo, especificamente a presença de uma ameaça contra uma pessoa ou grupo identificável ".

Ah, você pode se perguntar, mas o que exatamente nosso bombástico presidente disse? Bem, eis o que ele disse: "Nunca haverá uma 'Zona Autônoma' em Washington, DC, desde que eu seja seu Presidente. Se tentarem, enfrentarão forte resistência! ”

Sim, a "ameaça contra um grupo identificável" foi… Trump dizendo que uma parte do DC não pode se separar dos Estados Unidos.

Não quero pensar demais, mas parece que se o Twitter existisse na década de 1860, esse tipo de conversa pró-secessão o colocaria no lado errado da história.

Acha que a conversa sobre secessão foi longe demais? Bem, na "zona autônoma" de Seattle, a polícia foi expulsa de uma delegacia. E quando uma briga começou no fim de semana, levando uma pessoa a ser morta, a polícia disse que não poderia entrar na zona para investigar e trazer de volta a ordem.

Quem exatamente está incitando a violência aqui de novo? (E eu nem citei o fato de que na zona autônoma de Seattle estavam distribuindo material sobre a criação de bombas e assassinato de policiais.)

Mas ainda não terminamos de detalhar toda a estupidez desta semana!

Na terça-feira, um grande grupo se reuniu em torno de uma estátua em Washington, DC, a poucos quarteirões do Capitólio. "Quinta-feira às 19h", grita um homem, por um vídeo tuítado por Richie McGinniss, do Daily Caller, "vamos botar abaixo esse filho da p***!" A multidão começa a aplaudir e gritar “woo!”

Bem, você pode até pensar que não devemos nos render às multidões furiosas, mas até que nessa eles estão certos, não é mesmo? Afinal de contas, por que temos tantas estátuas confederadas em toda a América, já que elas lutaram pela escravidão?

Bem, eles não estavam falando de nenhum confederado, e sim de uma estátua de Abraham Lincoln. Com um escravo libertado ao lado dele.

Esse cavalheiro eloquente não foi o único a pedir a destruição nesta semana. Na segunda-feira, Shaun King, jornalista e ativista liberal com mais de um milhão de seguidores no twitter, publicou o seguinte: “Sim, acho que as estátuas daquele europeu branco que afirmam ser Jesus também devem ser destruídas. Elas são uma forma de supremacia branca."

Ah, sim, porque o que realmente precisamos agora é levar multidões às igrejas! (As igrejas ainda estão vazias ou quase vazias de fiéis em muitas cidades por causa de preocupações com coronavírus. Mas, é claro, a boa notícia é que você não pode pegar coronavírus em um protesto de esquerda, portanto não há risco de multidões sendo infectadas nas igrejas.)

Obviamente, as observações de King também ignoram a rica história do cristianismo, representando figuras religiosas em uma grande variedade de etnias. Sim, Jesus era um homem judeu que se encaixava no Egito. Mas Ele também é Deus … uma figura um pouco mais universal. Como Bill McMorris escreveu maravilhosamente no site The Federalist, os católicos têm uma rica tradição, inclusive em Washington, DC, de retratar Maria, a mãe de Jesus, como parte de uma variedade de culturas. (Embora eu suponha que, quando King descobrir isso, acusará Maria de apropriação cultural. É impossível satisfazer os esquerdistas.)

Outro exemplo desta semana? O país entrou em mais uma discussão solene sobre as relações raciais, iniciada pela descoberta de uma corda amarrada como um laço na garagem do piloto negro da NASCAR, Bubba Wallace, no circuito de Talladega, no Alabama.

No entanto, quando as autoridades investigaram, não descobriram nenhuma ação nefasta contra Wallace. Em vez disso, constataram que a corda estava ali desde outubro. Infelizmente, poucos esperaram que os fatos emergissem e imediatamente viram a corda como mais uma prova de quão racista é a América.

E nem comece a pensar no fato de que um ativista está pedindo que o hino nacional dos Estados Unidos seja substituído por "Imagine", de John Lennon, uma música triste que inclui: "Imagine que os países deixem de existir."

Eu poderia continuar citando exemplos assim por dias. Mas não vou … porque esse nível de estupidez é deprimente demais.

Eu odeio parecer super chata aqui, mas onde estão os adultos?

Estamos enfrentando problemas reais. Precisamos resolvê-los com discursos racionais, conversas sérias e envolvimento genuíno uns com os outros. Nós precisamos trabalhar juntos.

Em vez disso, é como se décadas de péssima educação, uma mídia venal e ativistas que favoreçam retuítes em vez de melhorias reais conspirassem para criar a tempestade perfeita de estupidez.

É uma época estranha. Todos nós estamos trancados e presos. Estamos preocupados com os efeitos a longo prazo de uma pandemia. Muitos americanos estão desempregados e / ou enfrentam o fim de seus pequenos negócios. Ficamos horrorizados com o fato de um policial ter matado um homem que não resistia à prisão, enquanto três outros policiais observaram o homem dizer que não conseguia respirar.

Não é de surpreender que as pessoas estejam exaltadas. Mas não podemos passar por esse momento apenas com nossas paixões. Temos que ser sérios aqui.

Considere o fato de que um senador do estado de Wisconsin, Tim Carpenter, diz ter sido espancado na terça-feira por uma multidão perto do Capitólio do estado em Madison (onde mais estátuas foram demolidas).

Ele disse ao Washington Post: "É triste que eu esteja do lado deles em manifestações pacíficas - sou um senador gay progressista e democrata que passou 36 anos na legislatura".

Eu gostaria de poder rir dos exemplos que listei aqui, mas o exemplo de Carpenter mostra por que estamos oscilando à beira de algo muito mais provável de ser trágico do que risível.

Numa época como essa, só posso chorar - porque nada menos do que o futuro da América está em jogo.

© 2020 The Daily Signal. Publicado com permissão. Original em inglês
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]