Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

“Aceitar tudo é um exercício, entender tudo é um esforço. O poeta só pede para colocar a cabeça no céu. É o lógico que procura colocar o céu na cabeça. E é a cabeça dele que se espatifa”. Por muito tempo, o autor dessa frase foi um ilustre desconhecido no Brasil. E se hoje o nome Gilbert Keith Chesterton, ou G. K. Chesterton, está na internet, nos textões e na academia, é graças à variedade de assuntos sobre os quais o escritor britânico se debruçou ao longo de sua vida.

Defensor da ortodoxia, das tradições e dos contos de fada, Chesterton pode ser descrito como o homem que compreendeu e encarnou o espírito conservador com leveza, inteligência e bom humor - atributos que, vamos combinar, faltam ao debate público contemporâneo. Para entender quem foi essa figura tão carismática e como suas ideias podem ajudar uma geração que insiste em acreditar demais em si mesma, convidamos o Rodrigo Naymaier, que é seminarista na Arquidiocese de Porto Alegre e presidente da Sociedade Chesterton Brasil, e o Arthur Grupillo, que é jornalista e professor de filosofia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]