Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE

união das repúblicas socialistas da américa latina

O que é a Ursal? Ela existe de verdade?

A pergunta do candidato à presidência Cabo Daciolo a Ciro Gomes foi um motor de memes nas redes sociais e um dos assuntos mais comentados da semana passada. Mas, afinal, o que é a Ursal?

  • Pâmela Carbonari, com Folhapress especial para a Gazeta do Povo
O candidato a presidente pelo Patriotas, Cabo Daciolo, falou sobre a Ursal no primeiro debate presidencial deste ano, na Bandeirantes, dia 9 de agosto |
O candidato a presidente pelo Patriotas, Cabo Daciolo, falou sobre a Ursal no primeiro debate presidencial deste ano, na Bandeirantes, dia 9 de agosto
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A noite da última quinta-feira, dia 9 de agosto, era para ter sido uma oportunidade para os candidatos a presidência da República apresentarem suas propostas de governo. O debate transmitido pela Band, porém, foi uma oportunidade para alguns políticos mostrarem suas excentricidades, como foi o caso do Cabo Daciolo (Patriota). 

Frente a frente com Ciro Gomes (PDT), o ex-bombeiro catarinense e atual deputado federal do Rio de Janeiro pediu ao também candidato para que ele falasse sobre o Plano Ursal. A pergunta, respondida com ironia por Ciro — “Eu não sei o que é isso, não fui fundador do Foro de São Paulo. A democracia é uma delícia, uma beleza, dei por ela a vida inteira, e continuarei dando, mas ela tem custos” —, foi o bastante para provocar a curiosidade dos espectadores e inundar a internet com piadas sobre a sigla da União das Repúblicas Socialistas da América Latina. 

Apesar da seriedade com que o candidato Daciolo afirmou que “no nosso governo o comunismo não vai ter vez” e que Ursal está relacionada a uma nova ordem mundial que extinguiria as fronteiras do continente e daria origem a uma única e imensa nação, a “Pátria Grande”, a ideia de criar uma nova república socialista entre os países americanos não goza de muita reputação. 

O conceito de Pátria Grande a que o presidenciável se refere apareceu pela primeira vez no livro “La patria grande” (1922), do argentino Manuel Ugarte, que reuniu diversos discursos em prol da unificação feitos em países americanos.

Como nasceu a Ursal

Já a Ursal é uma teoria de integrantes da direita brasileira que atribuem sua criação ao Foro de São Paulo – organização, que realmente existe, de partidos e movimentos de esquerda que nasceu em 1990. Mesmo que grande parte dos memes sobre ela tenham surgido a partir da pergunta do Cabo Daciolo a Ciro Gomes, apoiadores de extrema direita temem há algum tempo que a Ursal seja responsável por traçar estratégias para instaurar o comunismo no continente. 

O primeiro registro da sigla é de 2001 em um artigo escrito pela socióloga, professora universitária e autora do livro “O Voto da Pobreza e a Pobreza do Voto — a Ética da Malandragem” (1988), Maria Lucia Victor Barbosa, professora aposentada pela Universidade Estadual de Londrina. 

Maria Lucia Victor Barbosa diz ter inventado o termo Ursal em 2001 como uma ironia, uma crítica a um encontro do Foro de São Paulo em Havana que ocorreu naquele ano. Na ocasião, participaram da reunião do grupo, que reúne partidos latino-americanos de esquerda, Luiz Inácio Lula da Silva e o então ditador cubano, Fidel Castro, entre outros.

No evento, Lula fez um discurso veemente contra a Alca (Área de Livre Comércio das Américas), dizendo ser um projeto de anexação que os Estados Unidos queriam impor, afirmando que seria o fim da integração latino-americana.

Em artigo publicado na internet em 9 de dezembro de 2001 intitulado "Os Companheiros", que foi reproduzido em alguns blogs à época, a professora escreveu: "Mas qual seria, me pergunto, essa tal integração no modelo Castro-Chávez-Lula? Quem sabe, a criação da União das Republiquetas Socialistas da América Latina (URSAL)?" — em tom de deboche, ela utiliza o termo Republiquetas, em vez de Repúblicas.

Fora de controle

A partir daí, diz a professora, a sigla começou a se espalhar na blogosfera e fugiu a seu controle. A professora afirma que pessoas telefonavam para ela para saber se a tal união existia mesmo, e ela explicava que era uma invenção."Eu falava para as pessoas 'não passa isso' [adiante], mas não teve jeito, de repente espalhou", diz ela. Na internet, a referência mais antiga encontrada pela reportagem para a Ursal é o artigo de Maria Lucia.

O escritor Olavo de Carvalho também citou a teoria conspiratória em um texto no jornal Diário do Comércio, em 2006, em que defendia que “a longo prazo, (a Ursal) só tornaria a América Latina ainda mais dependente dos bancos internacionais”. 

Há, inclusive, um dossiê Ursal online que lista 100 motivos que supostamente explicam a vontade da esquerda (do PT, principalmente) de implantar um regime comunista. Algumas das supostas evidências citadas pelos organizadores do dossiê são: a existência de agentes da KGB infiltrados no Brasil, como políticos e jornalistas para manipularem as informações que chegam à população; o fato do PSDB ser um partido socialista e que José Serra e Fernando Henrique Cardoso seriam marxistas e apoiadores da Revolução Cubana; e que Lula já teria feito sexo com animais. 

Mesmo com razões pouco plausíveis para acreditar que a Ursal seja uma possibilidade tão real, as reações que essa hipótese despertou na web compensaram a fala esquiva e burocratizada dos presidenciáveis no debate. 

Quem tem medo da Ursal? 

Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos é deputado federal do Rio de Janeiro, eleito em 2014 pelo PSOL. O ex-bombeiro de 42 anos ficou conhecido no país ao liderar a greve dos bombeiros no Rio de Janeiro em 2011. A atuação de Daciolo no motim rendeu sua prisão em Bangu por nove dias. Em 2015, ano em que assumiu o cargo parlamentar, ele foi expulso do PSOL por propor uma emenda constitucional para mudar o primeiro parágrafo da Constituição Brasileira de “todo poder emana do povo” para “todo poder emana de Deus” – a sugestão fere o conceito de estado laico, assegurado na própria Constituição. 

As ideias do deputado causavam divergências dentro do Partido Socialismo e Liberdade, como, por exemplo, quando o político defendeu que os policiais acusados de participar da morte de Amarildo Dias de Souza fossem libertados. Daciolo é pastor evangélico, casado, pai de três filhos e, além das polêmicas envolvendo propostas ousadas, religião e troca de partidos, ele responde a uma investigação da Polícia Federal por suposto desvio de verba pública. Segundo informações apuradas pelo jornal O Globo, a PF estima que Daciolo tenha pago R$227,5 mil com verba da Câmara a uma empresa de fachada. 

o que você achou?

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Ideias

PUBLICIDADE