• Carregando...

Edmund Burke, Russel Kirk, Michael Oakeshott, Roger Scruton e companhia. Se você, leitor, se considera conservador, ou se pelo menos já teve alguma curiosidade por este universo, é muito provável que você tenha esbarrado em alguns destes nomes. São, de fato, grandes homens que pensaram o conservadorismo e são essenciais para entender suas raízes históricas e suas aplicações.

O problema é que, como você também pode ter percebido só de ouvir esta abertura, é que estes nomes soam estranhos à língua portuguesa. E essa é só a superfície do problema: no país do samba, do forró, do Carnaval, das festas juninas, e do Pantanal, alguns discursos conservadores parecem completamente descolados da realidade.

O Ideias de hoje tem duas apresentadoras e dois convidados. As jornalistas Bruna Komarchesqui e Maria Clara Vieira conversam com o cientista político Bruno Garschagen e com o historiador e professor de filosofia política Alex Catharino sobre por que o conservadorismo brasileiro precisa ser diferente dos outros se quiser sobreviver.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]