Para a varanda, Flávio Egydio utilizou deque em módulos que podem ser retirados para a limpeza do piso | Priscila Forone/Gazeta do Povo
Para a varanda, Flávio Egydio utilizou deque em módulos que podem ser retirados para a limpeza do piso| Foto: Priscila Forone/Gazeta do Povo
  • O deque projetado pela arquiteta Beth Choueri fica entre a residência e a piscina e serve tanto para tomar sol quanto para receber visitas e reunir os amigos
  • Modelo de projeto com uso de madeira plástica, fornecida pela Engeplas
  • Proposta de Heloiza Rodrigues para otimizar a lateral entre a residência e o muro
  • Na Formighieri, deques modulares formam desenhos personalizados
  • O desnível compõe o deque no projeto da arquiteta Maria Carolina Budel

A versatilidade de uso e a beleza que confere aos projetos fazem do deque uma ótima alternativa à colocação de pisos convencionais em ambientes externos, podendo inclusive caracterizar a área como permeável, o que resulta em menor impacto ambiental. "A permeabilidade do solo não fica comprometida. O piso é vazado, o que evita a falta de drenagem dos terrenos, problema muito comum em áreas urbanas mais adensadas", explica a arquiteta Maria Carolina Budel.

Quando aplicado em locais como jardins, piscinas e espaços de lazer, o deque dá a sensação de alongar a construção e, em muitos casos, valoriza áreas que estavam sem uso. Mas pode compor também espaços internos, como jardins de inverno, spas, sacadas e saunas. O arquiteto paisagista Flávio Egydio de Carvalho considera o deque ideal para ambientes aconchegantes e informais. "É uma estrutura feita para servir como assoalho de madeira para nivelamento do piso, em terrenos com desnível, mas que pode ser usada em qualquer lugar", aponta.

Antes de fazer a instalação é preciso preparar o solo que receberá a estrutura. Para os casos em que se deseja evitar o contato direto do deque com o chão, a arquiteta Beth Choueri indica o calçamento com base cimentícia, que contribui para evitar o desgaste da madeira da superfície, mas deixa o solo impermeável. Outra opção é construir diretamente sobre a grama, ou tirar a vegetação para que não cresça entre os vãos do deque e fazer um contrapiso forrado com pedriscos.

Materiais

A madeira certificada, de qualidade e durabilidade, resistentes à ação do sol, ca­­lor e umidade, é a principal ma­­téria-prima para a construção dos deques. Entre as mais indicadas pelos profissionais e empresas do setor estão a itaúba, ipê, garapeira, cumaru, e madeira de demolição, como peroba e cruzetas. A arquiteta Maria Carolina também inclui na lista as madeiras reflorestadas, como o pinus e o eucalipto comercializados pela Reflorestratar, que recebem o tratamento em autoclave para au­­mentar sua vida útil e permitir a aplicação em estruturas de deques.

A autoclavagem atua contra o apodrecimento da madeira e o aparecimento de insetos do tipo xilófagos, que se alimentam da madeira, por exemplo o cupim. Maria Caro­lina explica que é realizado um processo de vácuo pressão que promove a impregnação do conservante, fazendo com que a ma­­deira, antes considerada pouco re­­sis­tente, passe a ser nobre sob o pon­­to de vista de durabilidade, ficando imunizada por longo prazo.

Uma novidade apontada pela paisagista Heloiza Rodrigues que reforça o conceito de sustentabilidade nos projetos é a madeira plástica. A composição do produto pode ser madeira ou fibras vegetais com o plástico, ou somente o plástico, mas com aplicação e aparência similares à da madeira para acabamentos de alto padrão. "A intenção é olhar para o deque e não dizer que é feito de plástico. Mas é preciso atenção ao escolher o material, porque alguns ainda mantêm a aparência artificial", diz Heloiza. Entre as vantagens da estrutura estão a alta resistência, o fato de não soltar farpa, permitir moldagem e diferentes geometrias, resistência à umidade, imunidade à pragas como cupins, não absorção ou retenção de água e, como não necessita aplicação de vernizes e seladores, tem baixo custo de manutenção.

Modelos

Os formatos dos deques dependem do ambiente, proposta para o espaço e da criatividade do projetista. "Podem ser ripados, com tábuas longas, todas no mesmo sentido ou módulos de deque, que podem ser dispostos formando um tabuleiro, cada um em sentido diferente, e também na diagonal. Tudo dependerá do projeto apresentado pelo arquiteto", classifica Ester Isfer, da Guaraúna.

Para a varanda de uma casa, a proposta de Flávio Egydio foi um deque modulado sobre o piso cimentício da laje, que tem ralos para escoamento da água. "Optei por esse modelo pela facilidade de manutenção e da possibilidade de retirar para limpar. Nas laterais, em vez de guarda-corpos, foram construídos bancos em madeira itaúba, a mesma das ripas modulares, para aumentar a área de uso no ambiente. Como é uma madeira resistente e de boa qualidade, é possível manter esse aspecto envelhecido e desgastado apenas por estética, sem comprometer a estrutura do deque", descreve o arquiteto.

Quanto ao uso dos módulos, o diretor comercial da Formighieri, José Augusto Formighieri, reforça a importância do nivelamento das áreas de aplicação. "O deque modular também pode ser assentado sobre a grama, desde que devidamente nivelada. O que ocorre é que geralmente o gramado consiste em superfície fofa, não propícia para que se instale o módulo diretamente. É possível optar pelo contrapiso ou pela retirada da grama e preparação da terra", sugere.

Manutenção

Por ser feito em madeira, o deque acaba envelhecendo e sofrendo com a deterioração pela ação do tempo. Se não for bem cuidado, o material pode apodrecer, ressecar e ficar esbranquiçado, comprometendo assim as réguas de revestimento e também a fundação da superfície. A periodicidade da manutenção pode variar conforme o material utilizado e fatores como circulação de pessoas e frequência de uso do local, mas o ideal, segundo os profissionais da área, é fazer manutenção anual, com aplicação de verniz náutico, óleos ou produtos impregnantes. Dependendo do caso, a madeira deve ser lixada e impermeabilizada novamente. "É uma rotina que deve ser respeitada para ter um deque sempre bonito", recomenda Ester Isfer.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]