i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Terrenos

Falta de espaço em Curitiba faz com que condomínios migrem para a RMC

Custo de vida menor e crescimento dos municípios da região são fatores que impulsionam esse movimento

  • PorVivian Faria
  • 07/11/2015 14:00
Localizado em Campo Largo, o Paysage Di Piero é uma das opções para quem busca uma área perto de Curitiba. | Divulgação
Localizado em Campo Largo, o Paysage Di Piero é uma das opções para quem busca uma área perto de Curitiba.| Foto: Divulgação

Se a Região Metropolitana de Curitiba (RMC) já foi conhecida por abrigar condomínios e loteamentos populares, aos poucos essa imagem vai se modificando, com a migração de condomínios horizontais de médio e alto padrão que não encontram na capital espaço para sua implantação.

“Essa tendência se confirma justamente pela escassez de grandes áreas disponíveis na capital e também pelo alto custo dos terrenos existentes”, explica o presidente em exercício da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR), Jefferson Gomes da Cunha.

Para as construtoras, apesar de estarem fora da capital, os empreendimentos chamam a atenção de quem quer morar em casa com segurança e opções de lazer. “É um público muito fiel, então isso faz com que ele ache razoável se deslocar para regiões mais distantes”, afirma o diretor comercial e de marketing da Paysage Empreendimentos, Henrique Penteado Teixeira.

Esse deslocamento também foi facilitado nos últimos anos, o que, para Cunha, é uma vantagem, especialmente quando somado ao menor custo de vida nos municípios da RMC.

Além disso, o crescimento dos municípios da região metropolitana nos últimos anos também torna o investimento nesses empreendimentos interessante para as construtoras. “Existe um mercado a ser explorado nesses locais”, explica Teixeira.

Em alguns casos, os projetos para este novo mercado também podem ser novidade, o que acarreta interesse. “Você passa a oferecer para o morador da RMC algo a que até pouco tempo atrás ele não tinha sem sair do município dele”, diz o diretor da Construtora Strobel, Félix Strobel Júnior, que tem um empreendimento em fase de implantação em Colombo, o Alta Vista Condominium, que ao lado de outros dois condomínios vai integrar o projeto Eccotown da Pedreira.

Distância

A facilidade de deslocamento não é o único fato que “diminui” a distância para quem se muda de Curitiba para um condomínio na região metropolitana. “As pessoas têm uma ligação com a região onde moram”, diz o diretor da Construtora Strobel, Félix Strobel Júnior. Para ele, um morador do Cabral pode preferir viver em Colombo ou Almirante Tamandaré do que em bairros do outro lado da capital.

Características

De modo geral, os condomínios de médio e alto padrão da região metropolitana diferem dos da capital no tipo de unidade oferecida. “Nos municípios da RMC nota-se um número maior de oferta de condomínios horizontais de terrenos do que na capital”, afirma o presidente em exercício da Ademi/PR.

Outro item que pode ser um diferencial é o preço do metro quadrado, que está diretamente relacionado ao custo de aquisição do terreno para implantação do empreendimento, que tende a ser menor fora de Curitiba. É preciso considerar, porém, que o padrão do condomínio também influencia o valor do metro quadrado e que nem sempre um terreno ou casa em empreendimento na RMC será mais barato.

5.542 terrenos

estão disponíveis em condomínios na RMC, segundo dados da Ademi/PR de agosto de 2015. Em dezembro de 2014, eram 1.473 lotes, o que representa um aumento de 276%. Do total, 3.100 são do loteamento popular Green Portugal, em Fazenda Rio Grande. Sem ele, o crescimento do número de lotes foi de 65%.

Espaço possibilita construção de “condomínio-cidade” em Colombo

Condomínio Alta Vista, em Colombo.Divulgação

A disponibilidade de espaço na Região Metropolitana de Curitiba também permite a implantação dos chamados núcleos horizontais residenciais, conjuntos de condomínios residenciais horizontais associados a um centro comercial que funcionam como pequenas cidades. Depois do Alphaville Graciosa, em Pinhais, a partir de 2016 o município de Colombo deve abrigar um empreendimento dessa categoria, o Eccotown da Pedreira, da Construtora Strobel.

“Serão alguns condomínios juntos e, no centro deles, uma área comercial com 18 a 20 lojas, para que a pessoa tenha serviços básicos muito próximos de casa, o que traz conforto”, explica o diretor da empresa, Félix Strobel Júnior. Segundo ele, cada empreendimento terá mais de 200 mil metros quadrados.

Para aumentar a comodidade, os condomínios devem oferecer uma área de lazer que inclui salão de festas e jogos, quadra poliesportiva, churrasqueira e playground, entre outras regalias. Além disso, como o foco do projeto Eccotown é sustentabilidade, os condomínios vão contar com iniciativas como reutilização da água da chuva, telhado verde e coleta de lixo seletiva.

O primeiro empreendimento do Eccotown da Pedreira, o Alta Vista Condominium, já foi lançado e está em fase de implantação. Serão 39 terrenos com pelo menos 360m² privativos. Outros dois condomínios já foram aprovados e a construtora, que enxerga potencial em outras cidades da RMC para a implantação de núcleos semelhantes, pretende aprovar um quarto.

R$ 800 a R$ 1.100

É a faixade preço por metro quadrado com o qual está trabalhando a Paysage Empreendimentos, que está implantando o condomínio Paysage Di Piero em Campo Largo. O preço da Construtora Strobel no Alta Vista Condominium é semelhante.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.