Para quem busca uma adega no estilo mais tradicional possível, a melhor opção, na opinião da designer Gisele Büsmayer, é pensar no espaço durante a construção da residência. Foi o que ela fez em sua casa há três anos, em parceria com duas arquitetas que trabalham no mesmo escritório – Cristiane Maciel e Sony Luczyszyn.

Ao invés de optar por uma adega climatizada, a designer e as arquitetas aproveitaram o subsolo para construção da adega, com 20 metros quadrados. "Não preciso usar o climatizador na adega porque aqui tenho a temperatura ideal. Isso otimiza o custo", diz Gisele.

O ambiente é bem rústico, todo feito em madeira, com detalhes em tijolos e piso em cimento queimado. A mesa de degustação é um tronco de madeira vindo da Argentina e as paredes foram impermeabilizadas. A iluminação dá um toque ainda mais rústico para o ambiente: sai de dentro de cada coluna feita em tijolos.

A adega na casa de Gisele tem capacidade para dez pessoas e passou por uma pequena reforma há dois meses. Uma das paredes ganhou pintura em textura que leva a assinatura da artista plástica Marilene Ropelato, em que frades gordinhos degustando vinho estão em destaque. "A ideia era dar um tom mais bem humorado, o ambiente estava muito sério", diz.

O custo de toda a obra ficou em torno de R$ 50 mil. Mas para Gisele uma adega pode ser projetada para qualquer tipo de residência, com opções que vão desde as simples até luxuosas. "Depende da vontade e disponibilidade do cliente. É possível aproveitar inclusive um espaço embaixo de uma escada, por exemplo."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]