Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Planeta no limite: educar para preservar
| Foto: Divulgação Náyra Vido

Queimadas, desmatamento e descarte incorreto do lixo são algumas das ameaças à biodiversidade brasileira e constantemente são foco de notícias e reportagens nos jornais. Conhecemos as consequências da degradação do meio ambiente e da interferência nos habitats da fauna há muito tempo, como mostra a matéria da Gazeta do Povo sobre o Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, em que figuram 627 espécies de animais ameaçadas de extinção no Brasil.

Mas para mudar o futuro, precisamos conscientizar aqueles que mais terão força para transformá-lo: os nossos jovens. Foi pensando nisso que a professora Náyra Rafaéla Vido, de Limeira (SP), em parceria com seus colegas professores Roseli Garcia, Robinson Bragotto e Erika Bispo, colocou em prática o Projeto “Planeta no limite”, onde os alunos puderam discutir e compreender melhor a importância da preservação da biodiversidade.

Durante os meses de agosto e setembro de 2021, nas aulas de ciências, os alunos do 9º ano da E.E. Professor Arlindo Silvestre leram matérias da Gazeta do Povo sobre as ameaças à biodiversidade e o descarte incorreto de plástico, realizaram debates sobre desinformação relacionada ao tema e prepararam materiais para uma mostra de conscientização, que aconteceu no dia 4 de outubro.

A mostra contou com diversas atividades, desde uma exposição de animais em extinção em forma de dobradura e tangram (quebra-cabeças chinês), até maquetes, experimentos, jogos interativos e um mapa da biodiversidade composto por QR Codes, para estimular a curiosidade dos colegas. Segundo a professora Náyra, o objetivo foi “fazer os estudantes refletirem sobre os hábitos de vida e a pensarem que planeta deixarão para as gerações futuras”.

A professora relatou ainda que os estudantes de outras séries da escola gostaram muito de participar das atividades. A mostra foi um sucesso, mas o trabalho não pode parar por aqui. “Sabemos, no entanto, que essa mostra realizada para mudar comportamentos é insuficiente e que observar mudanças na atitude demanda tempo, sendo necessário sempre abrir espaços para essas discussões”, afirmou Náyra. 

Quer aprender a usar o jornal para tornar suas práticas mais estimulantes também? Inscreva-se gratuitamente no Ler e Pensar. Ao fazer parte do projeto você participa da Formação Ler e Pensar 2021 que ensina tudo que você precisa saber sobre como usar o jornal pedagogicamente e tornar suas aulas mais atrativas, além de oferecer certificação de 40h ou 60h, e acesso a outros benefícios como a assinatura da Gazeta do Povo, tudo isso gratuitamente!
Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/ler-e-pensar/eusoumaiseu-educacao-e-qualidade-de-vida/
Copyright © 2021, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]