Um grupo de pelo menos cem pessoas - entre funcionários, guardas de segurança e visitantes do Ministério da Educação Superior do Iraque, localizado no centro de Bagdá - foi seqüestrado nesta terça-feira por homens armados que vestiam uniformes policiais, informou o governo no início desta terça-feira. Mais tarde, segundo a agência Associated Press, o escritório do primeiro-ministro informou que o número real de seqüestrados oscilava entre 45 e 50 pessoas, das quais 20 tinham sido soltas já.

Ainda nesta terça-feira, cinco comandantes da polícia foram detidos. Um dos cinco é o chefe da delegacia de Karradah, bairro do centro de Bagdá.

Os mais de 80 seqüestradores chegaram em ao menos 20 caminhonetes e invadiram o prédio, localizado no bairro de Karrada, que é dividido por xiitas e sunitas.

Segundo as primeiras informações, o grupo armado isolou as mulheres em uma sala e ordenou que elas entregassem os celulares. Logo depois, os seqüestradores levaram os homens que estavam no prédio para um bairro xiita.

O ministro da Educação Superior, Abed Dhiyab al-Ajili, ordenou que as universidade permaneçam fechadas até que as forças de segurança emitam um parecer preciso da situação.

- Não tenho outra escolha senão interromper as atividades nas universidades de Bagdá - delcarou Al-Ajili.

Iraquianos que trabalham para o novo governo pós-Saddam Hussein são alvos constantes da ação de extremistas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]