Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Denise Burditus, Quinton Robis, Neysa Tonks e Sonny Melton são algumas das vítimas do ataque em Las Vegas | Reprodução					/
Denise Burditus, Quinton Robis, Neysa Tonks e Sonny Melton são algumas das vítimas do ataque em Las Vegas| Foto: Reprodução /

Dezenas de pessoas foram mortas e centenas feridas no domingo (1º), quando um homem armado abriu fogo contra um festival de música country em Las Vegas, nos Estados Unidos. Aqui estão algumas histórias daqueles que morreram: 

Denise Burditus, 50 anos 

De Martinsburg, Oeste da Virgínia.

Denise recentemente havia mudado a foto dela em seu perfil no Facebook para uma imagem dela com o marido, Tony. Ambos estavam sorrindo com o festival musical e o hotel Mandalay Bay ao fundo. 

A foto foi postada horas antes de um homem armado atirar contra a multidão e Denise morrer nos braços de seu marido, escreveu Tony no Facebook. Denise tinha dois filhos, quatro netos e estava casada há 32 anos. Ela descrevia a si mesma como uma universitária e aposentada em seu perfil nas redes sociais. 

Leia também: Curitibano não consegue ingresso para festival e escapa de massacre em Las Vegas

“É triste para mim dizer que eu perdi minha esposa de 32 anos, a mãe de dois filhos, logo seria avó de cinco netos, nesta noite em Las Vegas. Denise se foi em meus braços. Eu te amo, baby”, escreveu Tony. Outros amigos usaram o Facebook para compartilhar memórias de Denise, quem um amigo descreveu como alguém “bonita e cheia de vida”. 

“Denise, você certamente mostrou a nós como viver – com espírito e devoção leal à sua família e à extensão da sua família, porque é assim que você tratou cada um de nós”, publicou um amigo no Facebook. 

No domingo, Denise postou nas redes sociais que “já estava planejando” o festival de 2018. 

Sandy Casey, 35 anos 

De Redondo Beach, Califórnia.

Em abril passado, no último dia das férias na Nova Zelândia, Christopher Willemse e a namorada dele, Sandy Casey, desceram uma colina íngreme em direção a um lago. Enquanto ela brincava com a água na margem, Willemse tirou um anel do bolso. Quando ela se virou, ele estava de joelhos. Eles planejavam visitar no fim do mês o local para o casamento. 

Em vez disso, depois de sete anos como colegas na Manhattan Beach Middle School, três anos como um casal e cinco meses como noivos, Willemse segurou Casey no domingo à noite enquanto ela morria atingida por um tiro nas costas no festival em Las Vegas. 

Willemse, de 32 anos, trabalhava como terapeuta comportamental em uma sala de educação especial de Casey. Ele e a noiva uniram o amor deles pela música country. 

Os dois estavam no festival com alguns amigos de Willemse, em frente ao palco, quando os tiros soaram. Eles caíram no chão, mas Casey disse que tinha sido atingida e não estava sentindo as pernas dela. Willemse colocou o dedo dele na ferida, para estancar o sangramento e a carregou para fora daquele local. Quando ela parou de responder, ele disse a ela que a amava e que ela era maravilhosa. 

“Ela era uma alma generosa e cheia de vida, amava viver isso”, o noivo disse. “Ela fazia todo mundo sorrir, era uma professora excelente e amava as crianças para quem ensinava. Todo mundo que a conheceu nunca vai esquecê-la”. 

Casey, que também amava yoga e atividades ao ar livre, era natural de Vermont, onde a família dela ainda mora. Willemse disse que está providenciando levar o corpo da noiva de volta aos pais dela. Ela gostaria de ser cremada, ele disse, então ele poderá manter uma parte dela com ele. 

No Facebook, segunda de manhã, Willemse escreveu: “Tudo o que posso dizer é que olhar para cima e assistir os pássaros voando alto e livres é onde eu sinto você sorrir para todos nós. Eu amo você, garota!” 

Angie Gomes, 20 anos 

De Riverside, Califórnia.

Angie viajou da Califórnia para o show para comemorar seu novo emprego como enfermeira assistente, confirmou Tyler Smith, um amigo da família. “Ela estava apenas celebrando com a música que ela amava”, disse ele. “Ela era luz para todos em sua vida, era o melhor tipo de pessoa, o que o mundo precisa”. 

Angie se formou na Escola Politécnica de Riverside, em 2015, na Califórnia. Membro da torcida organizada e do coral da escola, ela foi lembrada por sua equipe como alguém com “coração afetuoso e espírito amoroso”. 

Em um comunicado divulgado pela instituição, Angie foi descrita como alguém sempre vista com um sorriso no rosto sempre que estava no campus. 

A mãe dela ficou bastante perturbada para falar sobre o ataque em Las Vegas e disse que a família precisava de tempo. Angie foi baleada três vezes – uma no ombro e duas no braço. O namorado dela, com quem estava havia cinco anos, tentou levá-la para fora do festival com ajuda de diversos estranhos. No entanto, segundo Smith, a multidão e as ruas bloqueadas tornaram impossível levar a jovem ao hospital, a tempo de salvar a vida dela. 

Charleston Hartfield 

Charleston era um oficial da polícia de Las Vegas, membro dos Forças Armadas, pai e treinador de futebol juvenil. Quem o conheceu disse que cada um desses papéis tocava o tipo de pessoa que Charleston era. “Ele era um daqueles caras que dão, dão, dão”, disse o amigo Stanley King. Troy Rhett, que treinou o time de futebol juvenil de Henderson Cowboys com Hartfield, disse algo semelhante. “Ele não era alguém que apenas estava aqui. Ele fez realmente o tempo que gastou aqui ter valor”. 

O treinador, conforme o amigo, entrou nesta área porque o filho era um atleta de destaque e agora é um jogador de futebol no Ensino Médio. Charleston deixa esse filho, uma filha que ainda está na escola primária e a esposa Verônica. 

Membros da família disseram que ele tinha acabado de terminar um livro sobre a vida dele como oficial de polícia, chamado “Memórias de um Servidor Público”. Charleston havia mudado a foto do seu perfil no Facebook para uma imagem do festival, no domingo, horas antes do ataque com tiros.  

Jennifer Irvine 

Ryan Mallinaux disse que frequentemente falava com Irvine no telefone sobre clientes que precisavam de fiança, mas que a encontrou pessoalmente apenas uma vez. Isso foi há apenas um mês, antes de um show do Metallica, para o qual ela não tinha ingressos. “Ela era realmente engraçada, boa cabeça, muito esperta”, disse ele. 

No site de seu escritório de advocacia, Irvine escreveu que iniciou recentemente o próprio negócio para se aproximar de seus clientes. Fora do trabalho, ela era faixa preta em taekwondo, praticava yoga e snowboarder. 

Kyle Kraska, diretor de esportes da CBS News 8 em San Diego, foi amigo de Irvine há 15 anos. "Ela era uma bola de energia, era divertida, estava cheia de vida", disse ele. Irvine sempre organizava viagens de fim de semana para outras cidades, para passear de barco ou ir a um festival, disse ele. Ela estava sempre cercada por grandes grupos de amigos.  

Irvine foi ao festival com vários amigos. Eles dançavam e cantavam juntos. Quando os tiros começaram o grupo todo foi ao chão. Quando uma outra mulher olhou em volta, eles perceberam que Irvine não estava se mexendo. Ela tinha sido baleada na cabeça. 

Krasha diz que sente um pequeno conforto ao saber que a amiga morreu instantaneamente, sem medo ou dor.  

Jessica Klymchuk

De Valleyview, Alberta.

Rachel Notley, a governante de Alberta — uma das dez províncias do Canadá — confirmou na segunda-feira (2) a morte de uma residente de Alberta no massacre em Las Vegas. O noticiário local identificou a pessoa como Jessica Klymchuk, uma mãe solteira de quatro filhos que vivia em Valleyview, uma cidade de aproximadamente 2 mil habitantes. 

Klymchuk estava em Las Vegas com Brett Irla. Os dois ficaram noivos em abril, segundo uma publicação no Facebook deles. Na segunda, Irla postou uma imagem dos dois envoltos por corações cor de rosa. Mensagens de condolência à família rapidamente surgiram na rede social. 

Na timeline de Irla, também é possível ver várias postagens que descrevem Klymchuk como “a mulher mais maravilhosa do mundo” e alguém que ele teve “sorte de ter” em sua vida. 

Rhonda Lerocque, 42 anos

De Tewksbury, Massachusetts.

LeRocque e seu marido, Jason, já haviam participado do Vegas's Route 91 Harvest Festival antes. Nesse ano, a tia de LeRocque disse que eles decidiram ir ao festival de última hora. Eles levaram junto a filha de 6 anos Aliyah, e o pai de Jason. Além disso, ficaram hospedados no Mandalay Bay - mesmo hotel em que foi encontrado o responsável pelo massacre, Stephen Paddock.

Agora, a família está de luto pela mulher que “era tudo para todos”, disse Gloria Murdock, tia da vítima. 

Em uma empresa de design em Boston, seu trabalho era receber convidados importantes. Em sua casa em Tewksbury, Massachusetts, ela organizava encontros familiares, fazia frango, macarrão e queijo para servir em volta da piscina. “Ela poderia fazer um bolo e dizer: Isso só me custou 10 minutos”, disse Murdock. 

LeRocque era testemunha de Jeová e conheceu Jason em uma viagem de missão, disse seu primo, Craig Marquis. As viagens se tornaram rotineiras, com excursões ao Havaí programadas todos os anos. Eles esperavam se mudar para lá algum dia. 

"Esta é simplesmente a maior perda da nossa família", disse Priscilla Champagne a mãe dela.

Sonny Melton

De Big Sandy, Tennessee.

Melton era um enfermeiro registrado no Henry County Medical Center, em Paris, no Tennessee. A esposa dele, Heather Melton, é uma cirurgiã. 

Adiran Murfitt, 35 anos

De Anchorage, Alaska.

Ryan Kopiasz conheceu Murfitt em uma festa do Ensino Médio. Os amigos de Kopiasz não tinham aparecido, então Murfitt começou a conversar com ele para que não ficasse sozinho. “Ele era do tipo de pessoa que ao ver alguém desconhecido em uma reunião, não deixaria que ele ficasse sozinho”, disse Kopiasz. “Não se encontra mais gente assim”. 

Murfitt foi uma das primeiras pessoas que visitou Kopiasz após o nascimento de sua filha. Além disso, ele estava sempre pronto para ajudar quando alguém precisasse, desde um passeio, até fazer uma ligação para animar alguém. “Ele estava sempre em alerta para ajudar – ele sempre sabia o momento certo”, disse Kopiasz. 

Era jogador de hóquei e também um homem que gostava de aventura. Murfitt tinha momentos difíceis as vezes, mas era também alguém aberto e profundo. Ele não tinha medo de falar sobre política ou filosofia de vida – e o fazia sempre de uma perspectiva humana. “Ele se comprometia com as coisas em um nível íntimo e pessoal”, disse. 

Além disso, Kopiasz relatou que Murfitt não era um grande fã de música; ele foi ao festival porque queria encontrar os amigos depois de passar meses dentro de um barco de pesca comercial. “A única consolação que nós temos é que...ele não terminou a jornada sozinho”. 

Murfitt foi até o festival com Brian MacKinnon – amigo que o segurou nos braços quando ele morreu. 

Rachael Parker, 33 anos 

O departamento da polícia de Manhattan Beach, na Califórnia, informou que Parker, uma técnica de registros policiais, morreu no hospital após ser baleada no domingo. Ela trabalhou para o Departamento do Sul da Califórnia por dez anos, segundo um comunicado da imprensa. 

John Phippen, 57 anos

De Valencia, Califórnia.

John Phippen era o tipo de “homem lenhador” que amava música, disse o seu melhor amigo. Era hilário quando ele cantava “Man! I Feel Like a Woman” (Homem! Eu me sinto como uma mulher), de Shania Twain, enquanto ajudava o amigo a renovar seu banheiro. 

“Era tão estranho, que era engraçado”, disse o amigo Thomas Polucki, um quiropraxista que vivia na mesma cidade no Sul da Califórnia, em Santa Clarita Valley, assim como Phippen. 

Phippen foi ao festival junto com seu filho, Travis. 

Jake Diaz, 19, e sua mãe eram amigos de Phippens. Eles disseram que Phippens saltou em cima do filho para protegê-lo quando o tiroteio começou. “Ele salvou a vida do Travis”, disse Diaz. 

O amigo Polucki, relatou que Travis trabalhou como médico, e mesmo depois de levar um tiro no braço ajudou a tratar de mais de uma dúzia de pessoas feridas. 

Para Polucki, Phippen realmente "parecia um ursinho de pelúcia que agia com um coração amável", sempre calmo, não importava quão tensa era a situação. "Algumas vezes eu começava a gritar palavrões. E no meu lugar, ele estaria despreocupado. Ele era simplesmente isso. Tinha que acontecer uma calamidade para ele ficar nervoso", disse Polucki. 

Phippen andava de bug nas dunas de areia para anunciar uma empresa chamada J.P Specialties, conhecida como uma "empresa de remodelação multifacetada" que faz pintura, elétrica, drywall, encanamento e pavimentos. Polucki disse que conheceu Phippen há cerca de 10 anos depois de ter comprado uma casa. 

Além disso, Phippen o ajudava. "Ele era o cara com quem eu gostava de tomar uma cerveja", disse. "Você não gostaria de sair com uma celebridade ou um político. Você gostaria de sair com John". 

Quinton Robbins, 20 anos

De Henderson, Nevada.

Quando Robbins agarrou seu peito, sua namorada pensou que havia algo de errado com seus níveis de açúcar. Eles estavam em um encontro no festival, e apesar de não estarem juntos havia muito tempo, ela sabia que ele tinha diabetes e pensou que poderia precisar de sua insulina. Só que ela ainda não tinha percebido que uma bala tinha atingido o namorado. 

A avó de Robbin, Gaynor Wells disse na segunda-feira (2) que ele será lembrado como “uma jóia”. Ela recontou o episódio da morte do neto após ouvir da namorada dele, que não ficou ferida. 

Ele era o mais velho de três irmãos, um membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, e aluno da Universidade de Nevada em Las Vegas. Um atleta ávido, Robbins passou seu tempo arbitrando várias ligas em sua cidade natal Henderson, em Nevada. 

Ele gostava de caçar, pescar e música country, e é por isso que ele decidiu ir para Las Vegas para o show de domingo à noite. Mais tarde sua namorada contou a sua família que duas pessoas desconhecidas, que se identificaram como enfermeiros, tentaram levar Robbins para um veículo para que pudesse receber atenção médica, mesmo quando os tiros ainda estavam chovendo na multidão. Algumas horas depois, sua família o encontrou e soube que ele não havia sobrevivido. 

Lisa Romero-Muniz, 42 anos

De Gallup, Novo México.

Mike Hyatt, superintendente das Escolas do Gallup-McKinley County, disse em um comunicado que Romero-Muniz era "uma amiga e mentora incrivelmente amorosa, sincera e defensora dos estudantes". Romero-Muniz era secretária de disciplina na Escola Secundária Miyamura. A esposa, mãe e avó era "extrovertida, gentil e atenciosa", disse Hyatt. 

Paul Romero, 57, não via a prima havia alguns anos, apesar de terem crescido juntos. “Ela era uma pessoa muito doce. Até onde sei, nunca teve um inimigo sequer”, disse ele. 

Já a bisneta de 14 anos de Louise Leslie foi para a escola onde Romero trabalhava, e durante a manhã, quando descobriram que ela estava morta, relatou: "todos estavam chorando". "Ela sempre estava dizendo a minha neta para não se preocupar e sempre fazer o que era certo. Ela era uma boa amiga", disse a avó. 

Bailey Schweitzer, 20 anos

De Bakersfield, California.

Schweitzer era recepcionista da Infinity Communications and Consulting, em Bakersfield, Califórnia. Na segunda, a empresa divulgou uma declaração de luto pela perda de um empregada que "sempre foi um raio de sol". "Se você já visitou nosso escritório, sabia que ela era a pessoa alegre que te ajudava no que você precisava", disse o executivo-chefe da Infinity, Fred Brakeman, no comunicado. 

Schweitzer cresceu em Bakersfield, onde o pai, Scott Schweitzer possuía terras no caminho da Bakersfield Speedway. Ela adorava passar algum tempo lá, disse o colega de trabalho Katelynn Cleveland, e adorava participar de festivais de música country. Schweitzer já tinha visto Jon Patti, Cole Swindell, Dierks Bentley e Garth Brooks.

Na sexta-feira, ela viajou para Las Vegas para ver as apresentações dos artistas. Havia tantos que eles iriam se apresentar em duas etapas. O artista que ela estava mais entusiasmada para ver, disse Cleveland, era Luke Combs. Ele se apresentou às 7h20 da manhã, mas Schweitzer não iria voltar ao trabalho até terça-feira. Ela decidiu ficar para o show final, a apresentação de Jason Aldean. 

Na noite de segunda-feira (2), seus colegas de trabalho realizaram uma vigília à luz de velas em sua homenagem. 

Susan Smith, 53 anos

Smith era gerente do escritório da Vista Fundamental Elementary School em Simi Valley, Califórnia. Ela também foi morta no festival, disse Jake Finch, assessor do Simi Valley School District. Smith, de 53 anos, era "uma grande fã de música country" e estava assistindo ao show com amigos quando foi baleada, disse Finch. 

Smith havia trabalhado para o distrito escolar por 16 anos, e atuou como gerente de escritório da escola primária por três. Ela era casada e mãe de crianças e adultos, disse Finch, embora não tivesse certeza de quantos. 

Finch disse que era amigável com Smith e que conversavam quando Finch entrou para a escola. "Ela tinha um grande senso de humor, era muito engraçada. Ela era ótima com as crianças e com a equipe. Em uma escola desse tamanho, o gerente do escritório é alguém realmente importante, tem de ser capaz de fazer muitas coisas", disse ela. “E Smith fazia tudo isso”.

Na segunda-feira, a escola realizou uma reunião com todos os funcionários, disse Finch. As crianças escreveram cartas para a família de Smith. 

Neysa Tonks, 46 anos

De Las Vegas.

Tonks, de 46 anos, era uma grande fã de Jason Aldean. Ela foi ao festival de música com o namorado. 

O irmão dela, Cody Davis, confirmou que Tonks foi morta no tiroteio durante a apresentação de Aldean. O namorado de Neysa também foi ferido e foi levado para um hospital. Neysa morreu na hora. Como eles estavam separados e ele tinha ficado com a bolsa e documentos de identificação dela, a família teve grande dificuldade para reivindicar o corpo de Neysa.

Ela foi criada em Utah e mudou-se para Las Vegas cerca de 10 anos atrás, disse Davis. "Ela era praticamente uma mãe solteira que criou três meninos", disse ele. "Ela era uma ótima mãe, uma grande irmã e uma grande amiga". 

Ela também foi uma empresária bem-sucedida, trabalhando na empresa de TI Technologent. Em seu tempo livre, adorava levar seus filhos para a praia e esqui aquático. Quando voltasse para Utah, ela esquiaria nas montanhas. "Ela era completamente extrovertida", disse Davis.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]