Seul – O ministro das Relações Exteriores sul-coreano, Song Min-Soon, defendeu ontem o acordo com os talibãs que permitiu a libertação de 19 reféns sul-coreanos no Afeganistão, ao afirmar que a Coréia do Sul não teve outra opção a não ser negociar com os seqüestradores. Consultado sobre o porquê de Seul ter negociado com os insurgentes, violando as normas internacionais, Song afirmou que outros países compreenderiam o dilema enfrentado pelo governo, quando 19 vidas corriam perigo.

"O governo lutou para obter um equilíbrio entre as normas internacionais e a premissa absoluta de ter que salvar a vida das pessoas", disse Song. O governo sul-coreano é criticado por ter negociado com os rebeldes, que antes haviam matado dois dos 23 reféns capturados no dia 19 de julho no sul afegão.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]