i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Antes de ir à ONU

Após negar Holocausto, Ahmadinejad se diz orgulhoso

  • PorAgência Estado
  • 21/09/2009 09:27

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou nesta segunda-feira (21) estar orgulhoso pelo fato de que sua negativa do Holocausto enfureceu o Ocidente. "A ira dos assassinos profissionais do mundo é (fonte de) orgulho para nós", disse, segundo a agência estatal Irna. O controverso líder prometeu, porém, durante sua participação, nesta semana, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), levar uma mensagem de "paz e amizade".

O mais recente comentário de Ahmadinejad sobre o massacre de milhões de judeus na Segunda Guerra (1939-45) ocorre no momento em que o Irã vive uma dura disputa com os Estados Unidos e outras nações ocidentais sobre seu programa nuclear. Após os comentários, a recepção, amanhã, ao presidente iraniano em Nova York deve ser ainda mais fria e acompanhada de protestos.

Na sexta-feira, Ahmadinejad questionou se o Holocausto era um "evento real". A referência aos "assassinos" aparentemente fala de Israel e Estados Unidos. Em várias ocasiões, ele já questionou o Holocausto. Para o líder iraniano, o evento foi usado como "um pretexto" para a formação de Israel. Ele também contesta o fato de organizações judaicas rechaçarem qualquer vínculo com algumas das atrocidades do nazismo e a situação atual no Oriente Médio. Boa parte do mundo árabe afirma que o Ocidente tem um viés favorável a Israel.

O Irã enfrenta atritos com os EUA, Israel e outros países, segundo os quais Teerã mantém um programa nuclear secreto, que inclui o desenvolvimento de armas nucleares. O país persa afirma que tem apenas fins pacíficos, como a produção de energia.

'Paz e amizade'

Ahmadinejad deve falar à Assembleia Geral da ONU nesta quarta-feira. "A mais importante mensagem da visita deste ano do presidente a Nova York é a paz e a amizade para todas as nações, combatendo a supressão e interagindo com elas na base da justiça e do respeito mútuo", afirmou um porta-voz do líder iraniano à agência Irna. As visitas anteriores de Ahmadinejad à ONU foram marcadas por fortes protestos. Em 2007, antes de discursar na Universidade Columbia, ele ouviu duras críticas do reitor da instituição.

O porta-voz disse que Ahmadinejad planeja diversas entrevistas durante sua viagem aos EUA. Segundo o funcionário, o "lobby sionista", apesar de seus esforços, não conseguirá "barrar a publicação de mensagens em busca de justiça para os iranianos".

Os EUA e mais cinco nações envolvidas (França, China, Rússia, Grã-Bretanha e Alemanha) aceitaram a oferta iraniana para que ocorram negociações "abrangentes" e "construtivas" sobre uma série de assuntos de segurança, incluindo o desarmamento nuclear. O chefe da política externa da União Europeia (UE), Javier Solana, terá um encontro com o negociador nuclear iraniano, Saeed Jalili, em 1º de outubro, para negociar a questão nuclear.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.