O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, indicou nesta quarta-feira que vai buscar promover novas eleições se, no voto de confiança marcado para dezembro, seu governo de centro-direita não conseguir um resultado suficientemente forte para poder levar suas reformas adiante.

Prejudicado pela economia fraca e por uma sucessão de escândalos, o governo debilitado de Berlusconi enfrentará dois votos de confiança no Parlamento, em 14 de dezembro, que podem levar a eleições mais de dois anos antes da data prevista, em 2013.

O partido governista Povo da Liberdade (PdL) está enfraquecido por uma divisão interna, e Berlusconi não conta mais com uma maioria segura na Câmara dos Deputados. Mas ele disse que, mesmo assim, espera vencer uma moção de não confiança contra o governo.

"Acho que teremos uma maioria, uma boa maioria na Câmara e no Senado, e que vamos governar", disse ele a jornalistas em coletiva de imprensa sobre medidas para ajudar jovens.

Mas Berlusconi indicou que não será o bastante conseguir uma maioria pequena, se isso levar sua margem de manobra a ser restrita demais para que possa governar de maneira eficaz.

"Se não for possível governar, ou porque não se obtém a confiança da maioria ou porque não há maioria capaz de obter a aprovação das reformas, procurarei o chefe de Estado e, com a maioria nas duas casas, pediremos eleições (antecipadas)", disse ele.

Berlusconi também já repetiu os avisos de que a Itália, com uma dúvida pública que chega a quase 120 por cento de seu PIB, precisa de estabilidade política durante a crise da dívida na zona do euro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]