i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Casa Branca

Biden chega à Casa Branca com o desafio de enfrentar pandemia e polarização

  • 20/01/2021 22:18
O presidente dos EUA, Joe Biden, e a primeira-dama Jill Biden chegam para cerimônia de posse no Capitólio dos EUA, 20 de janeiro
O presidente dos EUA, Joe Biden, e a primeira-dama Jill Biden chegam para cerimônia de posse no Capitólio dos EUA, 20 de janeiro| Foto: Win McNamee / POOL / AFP

Em seu primeiro dia como presidente dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden agiu rápido para desfazer algumas das decisões que faziam parte do legado de seu antecessor, Donald Trump.

Na noite desta quarta-feira (20), após tomar posse em cerimônia no Capitólio dos EUA, Biden assinou um conjunto de ordens executivas que demonstram as prioridades de seu novo governo e marcam uma guinada nas políticas dos últimos quatro anos na Casa Branca. O foco principal das ações foram o combate a mudanças climáticas e a pandemia de coronavírus.

As decisões que estavam ao alcance da caneta de Biden incluíram a reintegração dos EUA a organismos multilaterais como o Acordo de Paris e a Organização Mundial da Saúde (OMS), o cancelamento do financiamento da construção do muro na fronteira com o México e a suspensão do banimento da entrada de viajantes vindos de alguns países muçulmanos.

Uma das decisões de Biden "desapontou" o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau. O presidente americano revogou uma autorização para a construção do oleoduto Keystone, que transportaria petróleo do Canadá para os EUA e que tem sido um ponto de discórdia entre ambientalistas e a indústria petrolífera. "Enquanto damos as boas-vindas ao comprometimento do presidente com o combate às mudanças climáticas, estamos desapontados, mas reconhecemos a decisão do presidente de cumprir promessa de campanha", afirmou Trudeau.

País dividido

Biden terá a missão de comandar um país dividido, que enfrenta uma grave crise de saúde e social causada pela pandemia de coronavírus, que já matou mais de 400 mil americanos em um ano.

"Esse é nosso momento histórico de crise e desafio", disse Biden em seu discurso inaugural, pedindo um fim para a "guerra não civil" no país. "A unidade é o caminho a seguir".

O primeiro desafio de Biden será gerenciar a emergência sem precedentes causada pelo coronavírus e mitigar a crise econômica comparável à da Grande Depressão - o que ele pretende fazer com um pacote econômico trilionário de subsídios e recursos para vacinas e combate à pandemia, que precisa ser aprovado pelo Congresso.

O democrata assume em condições favoráveis, já que o seu partido tem o controle da Câmara e do Senado pelo menos pelos próximos dois anos.

O novo presidente precisa também ampliar a velocidade da vacinação contra Covid-19 na população, para controlar novas ondas de contágios.

Duas semanas atrás, o mesmo local onde Biden prestou juramento, o Capitólio dos EUA, foi tomado por uma multidão de apoiadores de Trump, que contestava os resultados da eleição presidencial.

A capital americana permanece em lockdown parcial, com o reforço de cerca de 25 mil membros da Guarda Nacional para garantir a segurança da cerimônia de posse, em meio a temores de que os tumultos de seis de janeiro pudessem se repetir.

Em relação à política externa, especialistas esperam que Biden adote uma postura de maior cooperação com aliados e participação em fóruns multilaterais, mas mantenha a linha dura do governo americano com a China e a Rússia.

Futuro de Trump

"Nós voltaremos, de alguma maneira", prometeu Trump em seu discurso de despedida nesta quarta-feira, antes de deixar Washington e seguir para a Flórida, onde vai morar com a sua família. Em um dos seus últimos atos como chefe do Executivo americano, Trump concedeu perdão a 143 pessoas, incluindo o ex-estrategista da Casa Branca Steve Bannon.

Trump não esteve presente para transferir o cargo para Biden, mas manteve uma tradição de 30 anos e deixou uma carta ao seu sucessor no Salão Oval da Casa Branca, que Biden afirmou ser "muito generosa".

O agora ex-presidente americano discutiu com aliados a possibilidade de formar o seu próprio partido, que seria chamado "Partido Patriota", segundo reportagem do Wall Street Jounal na terça-feira.

Fora do governo, Trump ainda deve enfrentar o julgamento no Senado do seu processo de impeachment por "incitar a insurreição", por seu papel nos ataques ao Congresso americano.

Na visão de alguns conversadores, a saída de Trump do poder é "libertadora". "Para pensadores, planejadores, defensores e formadores de políticas conservadores, esse é um dia de liberação", afirmou o colunista Dan McLaughlin em artigo no National Review. "Pela primeira vez em cinco anos, é possível pensar, propor, planejar e promover ideias conservadoras sem ter que passar por Donald Trump", pontuou, dizendo que essas propostas agora não serão mais "reféns" do que Trump está interessado em um dia específico.

9 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 9 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • C

    Celso Arruda Salomé

    ± 6 horas

    Biden, comunista enganador eleito numa eleição sabidamente fraudulenta, vai afundar os Estado Unidos e nunca vai ter o povo conservador ao seu lado.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • J

      JOSE Z. NETO

      ± 8 horas

      Na foto percebi que haviam dois rabos pontudos por baixo da roupa.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • .

        .

        ± 8 horas

        Biden que contrate alguém pra provar comida e bebida pois esse aí já vão dar um jeito de eliminar, esse é o desafio dele. Os radicais do partido dele querem a vice no poder e não ele, ele só foi um **** util. Agora com a câmara e o senado todo do lado democrata (com fraude na eleição ou não), zero pressão da imprensa que também é toda democrata e vai encher o bolso de grana estatal, o cara vai ter um governo de passeio no parque, caminho 100% livre pra mudar constituição, liberar drogas, aborto, gênero neutro e cobrar mais e mais impostos de quem produz. O Covid por exemplo acabou ontem nos EUA, eles automaticamente vivem no país da Alice a partir de agora

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • A

          All Jr

          ± 9 horas

          "Enfrentar a polarização"!? O Partido Democrata se radicalizou e defende grupos violentos e radicais como o BLM e Antifas, apoia o fim da liberdade de expressão por meio do silêncio da oposição pelas BIG TECH e mídia mainstream, que atuam como braços do Partido Democrata, e agora falam em "união" e "fim de polarização"? Os caras sabotaram o governo TRUMP desde o início do mandato... com esse pessoal não há união possível, a não ser se submeter completamente a agenda radical deles.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • A

            AMAURI

            ± 10 horas

            Um dos piores MALES da história dos Estados Unidos chegou ao fim.

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • Z

              Zyss

              ± 10 horas

              Da minha parte, enquanto haver o esquerdismo haverá polarização. Simples assim.

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • A

                Alexander Cainzos

                ± 11 horas

                Não precisa estudar muito para saber que a polarização vai aumentar nos próximos anos. É justamente o discurso progressista e o enaltecimento de minorias (que por essência, são infinitas) que cria a polarização. O discurso não bate com a prática, enquanto fala de união, conservadores são perseguidos nas redes sociais e rotulados de "extremistas", ainda que repudiem a invasão do Capitólio. Aliás, que invasão estranha. Vamos ver...

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • R

                  Ronaldo de Araújo Maia

                  ± 16 horas

                  O mundo aguarda sua redenção.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • M

                    Marçal

                    ± 21 horas

                    Da-lhe Biden e Kamala.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    Fim dos comentários.