i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
cooperação

Brasil e Peru assinam acordo para produção de energia

Contrato prevê a construção de até seis hidrelétricas com o potencial de geração de até 7,2 mil megawatts

  • PorAgência Estado
  • 16/06/2010 17:37

No terceiro encontro em dois anos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Peru, Alan Garcia, assinaram hoje em Manaus um acordo bilateral para produção de energia elétrica no Peru e exportação de excedentes para o Brasil. Sem prazo para início ou previsão de gastos, o contrato prevê a construção de até seis hidrelétricas com o potencial de geração de até 7,2 mil megawatts (MW).

"A previsão é que em até cinco anos comecem as licitações para as empresas brasileiras interessadas na construção", disse o ministro das Minas e Energia, Marcio Zimmerman. O presidente do Peru afirmou que a grande preocupação com a construção será com a preservação do meio ambiente. Lula, contudo, afirmou que não há forma de produzir energia mais "ecologicamente correta" do que as hidrelétricas. "É a mais barata e a que menos agride. É mais barata do que a eólica, que além de tudo não é constante. É mais eficiente do que energia solar, que só se tem experiência para aquecer um chuveiro, mas não para fazer funcionar uma fábrica", disse. "O que não podemos é ter no Brasil uma manifestação a cada anúncio de hidrelétrica".

Foi assinado ainda um acordo que dá mais abertura à entrada de produtos peruanos no Brasil. "Só soube hoje que o Brasil passou os últimos oito anos sem comprar couve-flor do Peru porque tem uma burocracia que impede. E pior, que há uma exigência fitossanitária que impede que entre cimento do Peru para vender no Brasil. Eu quero saber quem foi esse cidadão insano que fez essa exigência porque eu não como cimento", disse.

No fim da tarde, Lula assinou contrato para a construção, em 27 meses, de 8.895 casas e apartamentos no Programa Minha Casa, Minha Vida, em parceria com o governo amazonense. Segundo o ministro das Cidades, Marcio Fortes, algumas modificações em projetos novos, como o do Amazonas, serão feitas. "O presidente pede casas com melhor acabamento e varandas, mesmo que pequenas, nos apartamentos", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.