A imagem mostra o trabalho de um artista de um buraco negro, semelhante ao V404 Cyg, devorando material de uma estrela  em órbita. | ESO/L. Calçada
A imagem mostra o trabalho de um artista de um buraco negro, semelhante ao V404 Cyg, devorando material de uma estrela em órbita.| Foto: ESO/L. Calçada

Em junho do ano passado, um buraco negro conhecido como V404 Cygni voltou à vida depois de 26 anos de quietude. O buraco passou por seus momentos de iluminação mais intensa dos últimos anos, e jatos vermelhos pareciam sair de dentro dele. Os astrônomos nunca antes tinham observado um fenômeno similar.

Este ano, a comunidade científica encontrou uma explicação para as luzes misteriosas. Segundo estudo publicado na revista Monthly Notices of the Royal Astronomic Society, o evento do buraco emitir faíscas brilhantes com duração de fração de segundos era um sinal de que estava expelindo material que não conseguia engolir.

Os rápidos flashes vermelhos do buraco V404 Cygni ,observado por UltraCamGandhi et al.

Principal autor do estudo, Dr. Poshak Gandhi explica, em texto publicado pela universidade de Southampton, no Reino Unido, que as faíscas ficaram mais fortes no auge da alimentação do buraco negro por uma estrela sem órbita. Isso leva a crer que o buraco estava recebendo tanto material que reagiu violentamente, expelindo parte do conteúdo por meio desses flashes. A duração desses episódios intermitentes poderia estar relacionada com o ligar e desligar do jato de alimentação do buraco pela estrela.

A universidade de Southampton, uma das integrantes da pesquisa, enaltece a importância da descoberta. As as erupções em buracos negros são rápidas e não frequentes, o que faz com que os cientistas tenham muito pouco tempo para reagir quando acontecem. Foi a primeira vez que um evento como esse foi visto em detalhe.

*Colaborou: Cecília Tümler

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]