Cerca de 300 mil russos perderam emprego em janeiro, levando a taxa de desemprego para perto de um patamar não visto desde os instáveis anos de 1990.

O país, que assim como o Brasil faz parte do chamado Bric, tem sido afetado pela queda nos preços do petróleo e pela crise financeira global.

O número de desempregados saltou para 6,1 milhões de pessoas, ou 8,1 por cento da força de trabalho ante 7,7 por cento em dezembro.

O declínio das cotações do petróleo e o aumento dos gastos sociais devem elevar o déficit fiscal para 8 por cento este ano e notícias nesta quinta-feira dão conta que os esforços do governo para animar a economia - e conter o potencial de instabilidade política - podem chegar a 1,9 trilhão de rublos (53,33 bilhões de dólares).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]