i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
eleições

Conselho de Guardiães vai preparar relatório sobre as eleições iranianas

Representantes da oposição batida nas urnas vão participar de comissão. Vinte pessoas morreram em protestos contra reeleição de Ahmadinejad

  • PorG1/Globo.com
  • 26/06/2009 13:33

O Conselho dos Guardiães do Irã decidiu criar uma comissão especial com personalidades políticas e representantes dos candidatos da oposição para preparar um relatório sobre a eleição presidencial de 12 de junho, marcada pela vitória do presidente Mahmud Ahmadinejad, declarou nesta sexta-feira (26) um porta-voz, citado pela agência Isna.

"O Conselho dos Guardiães previu a criação de uma comissão especial com a participação de personalidades políticas e de representantes dos dois candidatos da oposição para preparar um relatório sobre o processo eleitoral", disse Abbas Ali Kadkhodaye, citado pela Isna.

"Serão recontadas 10% das cédulas de voto na presença dos membros desta comissão, e o relatório será levado a público", destacou.

A oposição contesta a reeleição de Ahmadinejad e denuncia supostas fraudes. O governo nega.

Entre estas personalidades políticas, estão o ex-ministro das Relações Exteriores Ali Akbar Velayati e o ex-presidente do Parlamento Gholam Ali Hadad Adel.

O conselho confirmou mais cedo nesta sexta que não encontrou nenhuma evidência de fraudes, e que esta foi a eleição mais limpa e "saudável" desde a revolução Iraniana de 1979. "O Conselho quase terminou de rever as queixas dos candidatos derrotados e a análise indicou que esse foi o mais transparente pleito desde a Revolução. Não existiram violações na eleição", afirmou o porta-voz do grupo, Abbasali Kadkhodai.

Durante essa semana, o Conselho, que faz a vistoria do processo eleitoral e guarda as leis do país, já havia rejeitado qualquer acusação de fraude e pedido de anulação da eleição, feitas pelos candidatos derrotados, principalmente pelo moderado ex-primeiro-ministro Mir Hossein Moussavi.

'Baderneiros'

Um clérigo iraniano conservador pediu nesta sexta a execução de "baderneiros", num sinal da intenção das autoridades de reprimir a oposição ao resultado da eleição presidencial realizada em 12 de junho.

"Quero que o Judiciário... puna os líderes baderneiros com firmeza e sem mostrar nenhuma clemência para ensinar a todos uma lição", disse Ahmad Khatami numa palestra religiosa na Universidade de Teerã.

A TV estatal iraniana disse na quinta-feira que oito integrantes da milícia Basji foram mortos por "baderneiros" durante os protestos. Anteriormente a mídia estatal havia informado que 20 pessoas morreram nas manifestações.

Autoridades iranianas acusam Mousavi de ser o responsável pelo derramamento de sangue, enquanto o ex-premiê moderado diz que o culpado é o governo.

Khatami, que é membro da Assembleia de Especialistas, disse que o Judiciário deve acusar os líderes "desordeiros" como sendo "mohareb", pessoa que promove guerra contra Deus.

"Eles devem ser punidos brutalmente e de forma selvagem", disse. Pelas leis iranianas, a punição para as pessoas condenadas por serem "mohareb" é a execução.

Khatami disse que Neda foi morta pelos próprios manifestantes para propósitos de propaganda. "Ao assistir o filme, qualquer pessoa inteligente vê que os baderneiros a mataram", disse.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.