Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Alto custo dificulta acesso | Alejandro Ernesto / EFE
Alto custo dificulta acesso| Foto: Alejandro Ernesto / EFE

Cuba inaugurou 118 centros de acesso público à internet espalhados pelo país. O acesso, no entanto, não é gratuito. Os usuários precisam pagar até equivalente a R$ 10 por hora para acessar sites internacionais, um preço salgado num país onde o salário médio mensal é de aproximadamente R$ 34. O uso de sites nacionais custa bem menos: R$ 1, 28.

Segundo o diretor da Empresa de Telecomu­nicações do país, Luz Manuel Díaz Naranjo, os computadores permitem acesso à internet e ao e-mail – além de toda a rede nacional. Os centros funcionarão de 8h30 às 19h30, de segunda a domingo.

De acordo com o governo, a conexão de Cuba com a rede mundial de computadores foi possibilitada pela instalação de um cabo submarino de fibra ótica que sai da Venezuela e passou a transmitir dados em janeiro.

Para a blogueira cubana Yoani Sánchez, apesar dos preços altos e da impossibilidade de acesso doméstico, a novidade "é uma brecha no muro". Aos 37 anos e moradora de Havana, Yoani faz constantes críticas ao governo a partir de seu blog "Generación Y" e por meio da popular rede social Twitter. Como a maioria dos opositores, hospeda o blog em servidores internacionais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]