Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Feira internacional de carros em Havana, a capital cubana, realizada no mês passado | Desmond Boylan/Reuters
Feira internacional de carros em Havana, a capital cubana, realizada no mês passado| Foto: Desmond Boylan/Reuters

Pela primeira vez desde a Revolução de 1959, os cubanos terão o direito de comprar carros novos e usados do Estado sem permissão do governo, anunciou ontem o jornal estatal, em mais uma medida de liberalização econômica da ilha comunista.

Há dois anos os cubanos podem comprar e vender carros usados entre eles, mas precisam de uma autorização do governo para comprar um carro novo ou de segunda mão – quase sempre um veículo relativamente novo usado antes para locação – de fornecedores do Estado.

O jornal do Partido Comunista, Granma, disse que o Conselho de Ministros aprovou novas regras na quarta-feira para "eliminar mecanismos existentes de aprovação de compra de veículos do Estado".

Como resultado, segundo o jornal, "a venda no varejo de motos, carros, vans, pequenos caminhões por cubanos e residentes estrangeiros, empresas e diplomatas foi liberada".

O Estado cubano mantém o monopólio da venda de carros no varejo.

A liberalização foi uma das mais de 300 reformas propostas pelo presidente Raúl Castro, que assumiu o poder no lugar do seu irmão, Fidel, em 2008, e aprovadas pelo Partido Comunista em 2011.

As mudanças valorizam a iniciativa privada e flexibilizam o controle do governo sobre a venda e a compra de bens pessoais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]