i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
áfrica

Ditador do Zimbábue renunciou em troca de imunidade

Partido governista Zanu-PF dará benefícios ao ex-líder Robert Mugabe e sua esposa

    • São Paulo
    • Folhapress
    • 23/11/2017 11:25
    Segundo fonte do governo, Mugabe deseja morrer no Zimbábue e não planeja viver no exílio | JEKESAI NJIKIZANA/AFP
    Segundo fonte do governo, Mugabe deseja morrer no Zimbábue e não planeja viver no exílio| Foto: JEKESAI NJIKIZANA/AFP

    O ex-ditador do Zimbábue Robert Mugabe recebeu imunidade de processos e a garantia de que sua segurança será preservada em sua residência no interior do país, como parte de um acordo que levou à sua renúncia após quase quatro décadas no poder. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (23) pela agência de notícias Reuters e pelo o jornal britânico The Guardian.  

    Leia também: Mugabe se junta à lista de ditadores que deixaram poder após golpe, morte ou revolta popular

    O deputado Ziyambi Ziyambi, do partido governista Zanu-PF, confirmou a imunidade ao jornal britânico. "Ele foi nosso presidente e concordou em renunciar, então vai receber os benefícios de um ex-presidente, assim como sua mulher", disse o parlamentar, que também é ex-ministro.  

    Mugabe comandava o Zimbábue desde sua independência, em 1980, mas renunciou na terça-feira (21) depois que o Exército tomou o poder e o partido governista se voltou contra ele.  

    O ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa deve tomar posse como novo presidente na sexta-feira (24).

    Uma fonte do governo afirmou que Mugabe, de 93 anos, disse aos negociadores que deseja morrer no Zimbábue e não planeja viver no exílio.  

    "Foi muito comovente para ele, e ele foi enérgico a esse respeito", disse uma fonte anônima à Reuters, que não está autorizada a revelar detalhes do acordo negociado.  

    "Para ele era muito importante que lhe garantam segurança para ficar no país... Embora isso não vá impedi-lo de viajar ao exterior quando quiser ou precisar", afirmou a fonte.  

    A queda rápida de Mugabe foi desencadeada após o ex-ditador afastar Mnangagwa do cargo de vice-presidente, fortalecendo a primeira-dama Grace como sua sucessora no comando do país.  

    Segundo o "Guardian", além de Mugabe, Grace e o restante da família também receberão a imunidade e terão a garantia de segurança.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.