i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
relações internacionais

Em meio a crises internas, Dilma e Merkel discutem questões estratégicas

Chanceler alemã vem ao Brasil para assinar cerca de 12 acordos bilaterais, num momento de turbulência política nos dois países

  • PorDas agências
  • Brasília
  • 20/08/2015 03:00
Angela Merkel: resgate à Grécia tem causado dor de cabeça. | Axel Schmidt/Reuters
Angela Merkel: resgate à Grécia tem causado dor de cabeça.| Foto: Axel Schmidt/Reuters

A presidente Dilma Rousseff receberia na noite desta quarta-feira (19) a chanceler Angela Merkel, acompanhada de 12 ministros e vice-ministros alemães (ao todo, o Executivo do país europeu possui 20 ministérios). O encontro tem objetivos estratégicos de relacionamento em um momento em que ambos os países enfrentam questões internas delicadas.

A visita de Merkel pode ser interpretada como indicativo de confiança dos alemães no “êxito do governo” da presidente Dilma. A avaliação é do diretor do departamento da Europa no Itamaraty, Oswaldo Biato Jr., que também destacou o longo histórico de parceria entre Brasil e Alemanha.

“Se eles não acreditassem no êxito do governo, não estariam vindo. Teriam adiado, cancelado meses atrás. Isso demonstra que, apesar dos problemas, o Brasil é um parceiro muito importante, economicamente e também politicamente”, afirmou.

“Os alemães conhecem bem o Brasil, há empresas [alemãs] que estão aqui há mais de cem anos. E já houve crises no passado, nos anos 1980, [no período de governo do ex-presidente] Collor. Não são marinheiros de primeira viagem”, disse Biato Jr..

A agenda de trabalho, concentrada em apenas um dia, prevê a assinatura de cerca de 12 acordos. Após as atividades, todos retornam à Alemanha, sem passagens por outros países da América Latina.

Apesar de ambos os países enfrentarem dificuldades em temas internos, o embaixador prevê um resultado positivo do encontro. Na Alemanha, as votações de resgates bilionário à Grécia têm resultado em rachas entre apoiadores da chanceler alemã. No Brasil, o cenário de crise econômica e desgaste do Planalto com o Congresso é motivo de atenção constante do Executivo.

“O fato favorável é que o Brasil é um grande mercado. Neste momento, as coisas estão um pouco difíceis, mas os alemães têm capacidade de olhar um pouco para frente, ver que, até agora, só ganharam aqui no Brasil”, disse o diplomata.

Acordos

Segundo Oswaldo Biato Jr., os acordos que serão assinados não tratam de “grandes anúncios de investimentos”, mas nem por isso perdem relevância. Está prevista a assinatura de declarações e memorandos de entendimento em áreas como cooperação educacional, meio ambiente e tecnologia.

O tema da reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas também deve ser abordado no encontro. A ampliação do grupo é uma das pautas recorrentes do Brasil em sua política externa.

“Uma das nossas pretensões é que no ano de aniversário dos 70 anos [da ONU, celebrado este ano], alguma coisa pudesse sair, algum tipo de progresso”, afirmou o diretor. Ele reconheceu, no entanto, que a tarefa não é fácil.

“É muito difícil porque muitos países dizem apoiar, mas, na prática, não apoiam. Certamente [o tema] vai ser tocado entre as mandatárias.”

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.