i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Sociedade

Em referendo, Croácia proíbe casamento gay

A votação sobre a proposta de reforma constitucional que confirma que apenas os heterossexuais podem se casar foi aprovada com 64,84% dos votos a favor e 35,56% contra

  • PorEFE
  • 01/12/2013 15:34

A maioria dos cidadãos da Croácia decidiu neste domingo que a Constituição do país deve definir o casamento exclusivamente como a união entre um homem e uma mulher, em um referendo proposto por uma associação católica e que foi tachado de discriminatório pelos homossexuais.

A votação sobre a proposta de reforma constitucional que confirma que apenas os heterossexuais podem se casar foi aprovada com 64,84% dos votos a favor e 35,56% contra, segundo os primeiros dados oficiais com 25% dos votos apurados.

Segundo os dados preliminares da Comissão Eleitoral, a participação de cidadãos aptos a votar foi inferior a 40%. No entanto, a legislação atual estabelece que basta uma maioria simples de votos a favor, independentemente do índice de participação, para validar o resultado.

Após votar contra a exclusividade do casamento a heterossexuais, o primeiro-ministro croata, o social-democrata Zoran Milanovic, declarou hoje que "infelizmente não pôde ser evitado o referendo sobre o casamento, por mais triste que isso soe".

O governo qualificou como homofóbica a realização da consulta, convocada após uma associação católica conseguir 740.000 assinaturas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.