O enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) Ibrahim Gambari embarcou ontem para Mianmar com o objetivo de persuadir os generais no poder a usar o diálogo em lugar das armas para acabar com os protestos do povo contra 45 anos de regime militar.

Gambari, um ex-ministro das Relações Exteriores nigeriano, não fez comentários ao chegar a Yangon, de onde seguiu para a nova capital dos generais, Naypyidaw, a 385 quilômetros ao Norte.

Até o momento, a junta militar parece ignorar o clamor internacional para um fim pacífico à repressão da revolta liderada por monges, que cresceu a partir de protestos conta o aumento de preços de combustível em agosto.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]