Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Chefes de Estado na última Cúpula das Américas, realizada em Lima em 2018: países liderados pelo México condicionaram sua participação neste ano a convites para ditaduras da região
Chefes de Estado na última Cúpula das Américas, realizada em Lima em 2018: países liderados pelo México condicionaram sua participação neste ano a convites para ditaduras da região| Foto: EFE/Miguel Gutierrez

Os Estados Unidos confirmaram nesta quinta-feira (26) que não convidaram Venezuela e Nicarágua para a Cúpula das Américas, que será realizada em junho em Los Angeles, mas foram mais ambíguos sobre Cuba, ao afirmar que “ainda” não enviaram uma convocação para este país.

O coordenador da Cúpula das Américas, Kevin O'Reilly, compareceu à Comissão de Relações Exteriores do Senado, onde, questionado pelo senador republicano Marco Rubio, de origem cubana, confirmou que nenhum desses países foi convidado por enquanto, embora tenha sido taxativo ao dizer que nem Venezuela nem Nicarágua o serão.

“Convidamos alguém do regime cubano para participar da cúpula?”, questionou Rubio, ao que o funcionário do Departamento de Estado respondeu que essa decisão corresponde à Casa Branca.

Pressionado pelo senador sobre se isso significa que Cuba ainda não foi convidada, O'Reilly reiterou que é algo que a Casa Branca tem que decidir, ao que Rubio voltou a perguntar se havia sido formalizado um convite para a ilha caribenha.

“Que eu saiba, não”, disse O'Reilly, acrescentando que os EUA convidaram representantes da sociedade civil cubana.

O'Reilly explicou que o governo dos EUA quer “ter uma ampla participação da sociedade civil de cada país onde autoritários e ditadores procuram acabar com o debate público”.

Independentemente de ter sido convidado ou não, o ditador de Cuba, Miguel Díaz-Canel, garantiu na quarta-feira que “em nenhum caso” participará da reunião.

Rubio perguntou então se os EUA haviam convidado o regime de Nicolás Maduro ou algum de seus representantes para a cúpula, ao que o coordenador desta reunião disse “absolutamente não”. “Nós não os reconhecemos como um governo soberano”, completou O'Reilly.

Em resposta a uma pergunta semelhante sobre se o governo do ditador nicaraguense Daniel Ortega foi convidado, O'Reilly respondeu com um retumbante “não”.

Em relação à oposição venezuelana, o coordenador da cúpula afirmou que os EUA reconhecem Juan Guaidó “como o legítimo presidente interino da Venezuela” e acrescentou que estão em discussões constantes com o “governo de transição” venezuelano sobre como podem participar e colaborar no evento.

Novamente questionado sobre o assunto por Rubio, O'Reilly indicou que cabe à Casa Branca fazer esse convite e que até o momento ele não foi enviado.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou que nesta sexta-feira (27) definirá sua participação na Cúpula das Américas devido à polêmica sobre a possível exclusão de Cuba, Nicarágua e Venezuela.

López Obrador criou uma controvérsia regional ao condicionar sua presença a que a Casa Branca convide todos os países da região, incluindo os três citados para a cúpula.

Sua posição foi apoiada por Bolívia, Guatemala e por nações da Comunidade do Caribe (Caricom), enquanto países como Argentina, Honduras e Chile se somaram às críticas, mas confirmaram sua presença na cúpula.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]