i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
europa

Familiares de vítimas de voo da Germanwings exigem desculpas de CEO da Lufthansa

    • berlim (alemanha)
    • Reuters
    • 21/07/2015 18:34

    As famílias de 18 estudantes e professores que morreram na queda de um voo da empresa aérea Germanwings exigiram desculpas do diretor-executivo da Lufthansa, dizendo que seus filhos ainda poderiam estar vivos se os médicos da companhia tivessem prestado mais atenção à saúde do copiloto.

    Os alunos e seus professores voltavam para a Alemanha após um intercâmbio na Espanha quando o voo de Barcelona a Duesseldorf foi derrubado deliberadamente pelo copiloto Andreas Lubitz no dia 24 de março.

    Em uma carta emotiva ao CEO da Lufthansa , controladora da Germanwings, os familiares disseram que o diretor-executivo Carsten Spohr não conversou com eles pessoalmente nem pediu desculpas pelo acidente, no qual as 150 pessoas a bordo morreram.

    “Você se fez presente para seus clientes, mas não para nós”, escreveram as famílias na carta, divulgada publicamente por seu advogado. Eles afirmaram querer um pedido de desculpas pelo fato de os médicos da Lufthansa não terem dado a devida atenção ao período anterior de depressão de Lubitz e por a empresa não ter implementado o regulamento que exige a presença de duas pessoas na cabine de comando antes da queda.

    Uma supervisão maior dos pilotos e a exigência de dois tripulantes na cabine o tempo todo estavam entre as recomendações emitidas na semana passada por uma força-tarefa europeia criada após a tragédia.

    O porta-voz da Lufthansa disse que Spohr falou com muitos familiares, que se responsabilizou totalmente e se desculpou pelo sofrimento das famílias. Cartas de condolências assinadas também foram enviadas, afirmou.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.