Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Estado da Flórida quer aprovar lei pró-vida semelhante a do Texas.
Estado da Flórida quer aprovar lei pró-vida semelhante a do Texas.| Foto: NiroDesign/Bigstock

O Congresso da Flórida disse nesta quinta-feira (2) que vai apresentar uma iniciativa contra o aborto semelhante à lei que entrou em vigor na última terça-feira no Texas, que proíbe a prática a partir de seis semanas de gestação.

Parlamentares das duas casas do Legislativo - controladas pelo Partido Republicano, assim como no caso do Texas - anunciaram hoje a intenção de apresentar um projeto de lei semelhante ao do outro estado americano, que praticamente proíbe por completo o aborto.

O presidente do Senado da Flórida, Wilton Simpson, afirmou que já estão trabalhando em um projeto de lei semelhante.

"Não há dúvida" de que a Flórida vai considerar um projeto de lei sobre o aborto como o do Texas, afirmou Simpson ao canal de televisão "WFLA Channel 8".

Anthony Sabatini, membro da Câmara dos Representantes do estado e que no passado apresentou iniciativas semelhantes sem sucesso, falou na mesma linha.

"É hora de começar a salvar a vida de crianças inocentes em gestação na Flórida", disse Sabatini à rede "ABC".

A nova lei do Texas proíbe o aborto a partir de seis semanas de gestação, quando o batimento cardíaco fetal pode ser detectado e muitas mulheres ainda não sabem que estão grávidas, e não prevê exceções em casos de incesto ou estupro.

Além disso, permite que indivíduos ajuízem ações civis contra qualquer pessoa que ajude uma mulher grávida a fazer um aborto em violação à proibição.

Enquanto isso, Simpson ficou satisfeito com o fato de a Suprema Corte dos EUA, que tem uma forte maioria conservadora, ter decidido ontem que não bloqueará a lei no Texas.

"A lei do Texas representa uma nova abordagem e o fato de que a Suprema Corte não a impediu de entrar em vigor é encorajador", disse Simpson.

Entretanto, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou hoje a mobilização de todos os recursos possíveis do governo nacional para "garantir que as mulheres no Texas façam abortos seguros e legais", já que ele considera a nova norma estadual "uma agressão" aos direitos das mulheres.

O aborto foi reconhecido nos Estados Unidos com a decisão da Suprema Corte de 1973 no caso Roe v. Wade, que estabeleceu que uma mulher pode interromper sua gravidez durante os primeiros seis meses de gestação.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]