Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Presidente Emmanuel Macron havia manifestado oposição à proposta, mas disse que “respeitaria a liberdade dos parlamentares”
Presidente Emmanuel Macron havia manifestado oposição à proposta, mas disse que “respeitaria a liberdade dos parlamentares”| Foto: EFE/EPA/JOHN THYS

A Assembleia Nacional da França aprovou nesta quarta-feira (23) a extensão do limite legal para o aborto no país de 12 para 14 semanas de gestação.

A proposta havia sido apresentada pela parlamentar Albane Gaillot, ex-integrante do La République En Marche, partido do presidente Emmanuel Macron.

Convicções da Gazeta do Povo: Defesa da vida desde a concepção

Macron havia manifestado oposição à proposta, por entender que era “mais traumatizante” para as mulheres interromper a gravidez mais tarde, mas disse que “respeitaria a liberdade dos parlamentares”. Integrantes do seu partido apoiaram o projeto, elogiado também pelo ministro da Saúde do seu governo, Olivier Véran.

Apesar da posição reticente de Macron nessa questão, em janeiro ele sugeriu a incorporação do aborto na Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia, em um debate perante o Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]