Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Serão necessários dois dias para remover as primeiras 22 varetas | REUTERS
Serão necessários dois dias para remover as primeiras 22 varetas| Foto: REUTERS

A empresa responsável pela usina nuclear de Fukushima deu o primeiro passo nesta segunda-feira (18) no longo e perigoso processo de desativação da instalação, extraindo uma vareta de combustível de seu recipiente para posterior remoção. A Tokyo Electric Power, conhecida como Tepco, transferiu a vareta para uma caixa de aço dentro da mesma piscina de resfriamento no prédio altamente danificado no qual fica o reator, dando início a um delicado procedimento, sem precedentes, de remoção das 400 toneladas de combustível usado altamente radioativo de dentro do reator.

As varetas são tubos com cerca de quatro metros de comprimento, contendo cápsulas de urânio, e teme-se que algumas possam ter sido danificadas durante o terremoto e a tsunami de março de 2011. Serão necessários dois dias para remover as primeiras 22 varetas. Mais de 1.500 precisam ser removidas do reator 4, numa operação que pode levar um ano.

Paralelamente, a Tepco precisa combater o vazamento de água contaminada por radiação e levar adiante a desativação de quatro reatores da central nuclear de Fukushima Daiichi. O processo pode levar décadas e custar dezenas de bilhões de dólares.

A caixa de aço, com capacidade para 22 bastões deverá ser transportada para uma piscina de armazenagem em outro prédio, disse um porta-voz da Tepco.

A retirada dos bastões é urgente porque estão localizados a 18 metros de altura do solo, em um edifício bastante danificado e escorado, que pode ruir caso seja atingido por um novo terremoto de terra.

Caso os bastões sejam expostos ao ar ou se quebrem, grandes quantidades de gases radioativos podem ser liberados na atmosfera. Há entre 50 e 70 bastões em cada recipiente, pesando em torno de 300 kg.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]