i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Paralisação

Maioria de refinarias da França mantém greve contra reforma

  • PorReuters
  • 25/10/2010 16:58

Trabalhadores de oito das 12 refinarias da França decidiram na segunda-feira continuar em greve contra a reforma previdenciária, mas três das outras cinco usinas decidiram encerrar os protestos, informaram líderes sindicais.

As oito refinarias que decidiram por votação prolongar a greve incluem todas as seis da companhia francesa Total, assim como as usinas da Ineos e da Petroplus.

Uma nona refinaria, da Lyondellbasell, não está em greve, mas líderes sindicais disseram que os funcionários mantêm um bloqueio a um depósito adjacente.

Os trabalhadores de refinarias estão em greve há quase duas semanas contra a reforma do sistema de pensões que deve virar lei nesta semana.

As paralisações nas refinarias, junto com bloqueios a depósitos de combustíveis e uma greve de um mês no principal centro petrolífero francês Fos-Lavera, prejudicou imensamente a distribuição de combustível e deixou um quarto dos postos do país sem abastecimento.

Mas, num sinal de que o movimento pode estar perdendo força, trabalhadores de duas refinarias francesas da Exxon Mobil decidiram encerrar a greve.

O governo também tenta resolver o problema de fornecimento de combustível desbloqueando o acesso a depósitos, e o ministro de Energia disse que o objetivo é ter 80 por cento dos postos operando normalmente na terça-feira, em comparação aos 75% no fim de semana.

Os sindicatos convocaram um protesto nacional nos dias 28 de outubro e 6 de novembro, numa tentativa de manter a pressão sobre o governo depois que o Senado aprovou a reforma previdenciária na sexta-feira. A lei deve ser sancionada ainda nesta semana.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.