i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Eleições nos EUA

McCain muda tática e volta foco para economia

Crise financeira é a maior responsável pelo crescimento de Barack Obama nas pesquisas de intenção de voto

  • PorFolhapress
  • 14/10/2008 21:02
“Temos de restaurar a confiança no sistema financeiro (...). Sob meu comando, o Departamento do Tesouro vai garantir 100% de todos os depósitos bancários por um período de seis meses". John McCain, em discurso na Pensilvânia, um dos mais importantes estados sem preferência clara | Carlos Barria/Reuters
“Temos de restaurar a confiança no sistema financeiro (...). Sob meu comando, o Departamento do Tesouro vai garantir 100% de todos os depósitos bancários por um período de seis meses". John McCain, em discurso na Pensilvânia, um dos mais importantes estados sem preferência clara| Foto: Carlos Barria/Reuters
  • Veja que às vésperas do debate, candidatos anunciam planos econômicos

Washington - Na véspera do último debate entre os candidatos majoritários à sucessão de George W. Bush, que acontece hoje, e a três semanas das eleições, o republicano John McCain deu mais uma guinada no rumo de sua campanha e mudou o foco para a crise econômica.

Essa é a preocupação número 1 da maioria dos eleitores e um dos motores do avanço recente do democrata Barack Obama nas pesquisas. Ontem, 24 horas depois de seu concorrente ter feito o mesmo, o senador do partido governista lançou emendas a sua proposta econômica, cuja base é a negociação direta entre os proprietários com hipotecas em atraso e o governo dos EUA.

Entre os itens anunciados do que foi batizado pela campanha como Plano de Aposentadoria e Seguridade, estão diminuição no imposto sobre lucro obtido com venda de ações e no imposto cobrado de aposentados que fizerem saques em seus planos de previdência em 2009 e 2010. Outras medidas promovem cortes de impostos ou oferecem incentivos fiscais à classe média em geral.

"Temos de restaurar a confiança no sistema financeiro’’, disse McCain em discurso na cidade de Blue Bell, na Pensilvânia, um dos mais importantes Estados-pêndulo (sem preferência partidária clara) nas eleições do dia 4.

"Sob meu comando, o Departamento do Tesouro vai garantir 100% de todos os depósitos bancários por um período de seis meses.’’ Hoje, o limite garantido é de US$ 250 mil por pessoa por banco.

O custo total das emendas do senador será de US$ 52,5 bilhões, ou US$ 7,5 bilhões menos que os adendos de Obama divulgados ontem.

Ceticismo

A novidade foi recebida com ceticismo pela campanha do democrata. "A última jogada de McCain chega um dia e 101 milhões de famílias de classe média depois’’, ironizou o porta-voz Bill Burton, referindo-se ao número de lares que supostamente se beneficiariam do plano do democrata.

No discurso de ontem, McCain evitou os ataques pessoais a seu oponente que marcaram os últimos dez dias de sua campanha e – as pesquisas sugerem – custaram pontos ao candidato. Em vez disso, ele focou suas críticas na desregulação do mercado. "Com novas regras de transparência pública e responsabilidade, esses dias acabaram em Wall Street.’’

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.